Falernia Syrah 2006

Tinto, 100% Syrah

País: Chile - Valle de Elqui

Viña Falernia

Preço: R$ 36

Já comentei a repeito deste vinho numa degustação que participei. O mais interessante é que este vinho é produzido num vale chileno reconhecido pela produção de uvas para pisco.

O Valle de Elqui fica muito próximo ao deserto de Atacama e conta, até onde eu sei, com apenas duas vinícolas.

Este é um syrah característico, de cor rubí violácea com muitas lágrimas escorrendo pelas paredes da taça denotando a graduação alcóolica de 14!

Aromas de frutas vermelhas frescas envolvidas por especiarias como a pimenta e o cravo alé de um charmoso toque de tosotado.

De final mediano e com boa acidez este vinho pede por um bom pedaço de carne vermelha! Sabe aquela carne de panela... vai harmonizar muito bem com este vinho saboroso, encorpado, de boa carga tânica e com retrogosto picante.

Forte Abraço!

Leon de Tarapaca Pinot Noir 2007

Tinto, 100% Pinot Noir

País: Chile - Isla de Maipo

Viña Tarapacá

Preço: R$ 35

Fiquei ausente uns dias por estar viajando, fui ao Chile. Já estou de volta, mas ainda de férias... Retomarei os "trabalhos" com este Pinot chileno que beí ontem. Sobre a viagem, visitei 06 vinícolas e a partir de abril serão postados os detalhes das visitas de vinhos que degustei.

Esse vinho foi um presente e uma grata surpresa, é difícil de encontrar um pinot noir abaixo dos R$ 40 e com razoável qualidade. É o caso desse.

Um vinho de cor rubí translúcida sem reflexos, com pequeno halo aquoso desenvolvido e "chorão" com lágrimas espessas.

No nariz muita fruta vermelha fresca, com destaque para a cereja, acompanhada de framboesa, notas de chocolate se desenvolveram com o tempo acompanhadas de alguma especiaria de fundo. A intensidade aromática demonstrou-se mediana.

De corpo médio para leve e com retrogosto frutado, este vinho não foi mais elegante por um leve desequilíbrio alcóolico que estava contrabalanceado por boa acidez e por uma carga tânica pequena porém macia. A persistência dele também é moderada.

Foi um vinho satisfatório e interessante para um início de noite quente...

Fico devendo a foto, não encontrei uma boa.

Forte Abraço!

$$$

Falando de Vinhos - Desafio Torrontés

Bom, todo mundo sabe que adoro vinhos aromáticos e por consequência que entre minhas cepas brancas preferidas estão a Gewurztraminer e a Torrontés.
De repente sou convidado para uma degustação as cegas de Torrontés. Vocês acham que eu iría pensar em não ir, fui!!! Aprendí, descobrí e me surpreendí ao lado de um dos melhores enoblogueiros do país e um estupendo anfitrião, um "gentleman"!
O resultado??? Confira no blog Falando de Vinhos do João Filipe Clemente, vale a pena!!!
Forte Abraço!

Isla Negra Merlot Rosé 2006

Rosé, 100% Merlot

País: Chile

Cono Sur

Preço: R$ 30

Mais um Rosé... porém esse não deve voltar para a minha adega tão cedo... tive duas experiências ruins com ele, apesar de ser interessante aromaticamente falando.

Rosé de Merlot que apesar de bom tempo na garrafa apresentou cor vermelho cereja bem viva e límpida além de lágrimas maos espessas. No nariz boas lembranças de frutos vermelhos frescos, especialmente o morango e algo de groselha, um toque herbáceo traz elegância.

Na boca é que me decepcionei... acidez média é compreensível, mas a mínima persistência e o pequeno desequilíbrio alcóolico não me permitiram sentir melhor o retrogosto frutado, quase verde. O vinho ficou com algumas arestas.

Com o risoto melhorou bem e fruta saltou a boca. Uma opção sempre agradável quando o vinho não lhe agrada é bebê-lo com a comida que tende a corrigir possíveis defeitos...

Duas taças para ele pela elegância de aromas.

Forte Abraço!

Columbia Valley Gewurztraminer 2006 no Olivetto




 
Vinho Branco - Gewurztraminer 
País: EUA 
Chateau Ste Michelle 
Preço: R$ 55 
Raras foram as vezes que sentí tamanho prazer numa refeição! Saí com esse sentimento do Olivetto Restaurante & Enoteca no último sábado. 
Eu e minha esposa comemorávamos nosso casamento, mais que uma noite especial. Para uma ocasião como essa, um jantar especial. Escolhemos o Olivetto, mesmo não o conhecendo, baseado puramente na reputação do local. Jamais nos arrependeremos. 
Fomos excepcionalmente bem atendidos pelo Sommelier Diego Mateus Arrebola e todos os garçons da casa. Três horas que passaram muito rápido e de forma muito prazerosa. 
Começamos a noite com duas taças de espumante e um shitake grelhado com vieiras e tomate acompanhado de uma fresca salada de folhas. Delicioso! 
Fomos ao prato principal, a Val escolheu Filé de Congrio com crosta de farinha de pão, toque de limoncello, acompanhado de risoto de mussarela de bufala, tomate seco e rúcula. Eu fiquei com o Salmão grelhado ao Pesto de tomate seco sobre uma cama de capellini de zuchinni e cenoura. Obras-primas do chef Pedro Serafim. 
Bom... aí entra o desafio do Somellier Diego, que atuou com maestría!!! Sugeriu este Gewurztraminer fantástico! Diferente de um alsaciano ou alemão este vinho norte-americano apresentou uma boa acidez que lhe concedeu um caráter mais fresco, o que não é característico nesta uva. 
Um gewurz amarelo-palha com reflexos dourados, os aromas remetiam aos tradicionais florais da cepa, porém algo mais verde como uma flor de laranjeira, além de muitos nuances herbáceos e de pimenta branca. Com tempo na taça os minerais surgiram. Um nariz diferente e complexo para este exemplar de gewurz. 
No gustativo o retroolfato de flores e herbáceo eram bem balanceados pela doçura da fruta. Bom frescor, corpo médio e álcool equilibrado fazem deste vinho um conjunto muito interessante. 
Ainda bebemos uma taça de Norton Colheita Tardia 2007 para acompanhar o Sapore Tropicale, sobremesa que pedimos. Este vinho de sobremesa me chamou a atenção por uma doçura bem menor que a maioría que conhecemos e por aromas de cana muito intensos, em determinado momento lembrava cachaça. 
Gostaría de agradecer a casa e especialmente ao Diego por tornarem nossa noite ainda mais especial! 
Forte abraço!

Anakena Late Harvest 2006

Vinho de Sobremesa - Branco - Viognier, Sauvignon Blanc e Moscatel de Alexandria

País: Chile - Vale do Limari

Anakena Wines

Preço: R$ 60

Este é o meu quinquagésimo post! Até agora foram pouco mais de 04 meses relatando minhas experiências com vinhos, espero que estejam gostando! Quería também agradecer a minha esposa Valdirene pelo apoio nesse humilde projeto.

O vinho sobre o qual vamos falar hoje é um vinho de sobremesa, com uma quantidade de açúcar residual razoável tornando-o harmônico com pratos doces como as sobremesas. Além disso esse vinho tem o detalhe de 60% das uvas terem sido "atacadas" pelo fungo Botrytis, responsável pela podridão nobre. Quando isso acontece, a uva perde água e consequentemente concentra os açúcares... facilitando a confeceção desse vinho tão especial!

Este Late Harvest tem cor amarelo dourada e pelas paredes da taça choram muitas lágrimas de espessura fina denotando os 14% de álcool.

Os aromas tem como pano de fundo as flores, com boa lembrança de dama da noite! As frutas que surgem são a lichia, laranja e maçã verde. Aromas herbáceos e de mel complementam. Um nariz bem interessante e complexo.

Na boca boa untuosidade bem equilibrada com a boa acidez e o corpo médio. O álcool também está domado e o vinho é harmonioso! Assim fica mais fácil de sentir o retrogosto de doce de laranja com leve toque verde. O final é de boa persitência.

Um bom vinho para acompanhar mousses de frutas cítricas. Porém não deve combiná-lo com sobremesas a base de chocolate preto.

Forte Abraço!

Alta Vista Classic Torrontés 2007

Branco, Torrontés

País: Argentina, Salta

Bodega Alta Vista

Preço: R$ 33

Esse é o Vinho do mês da Confraria Brasileira de Enoblogs. Neste mês a responsabilidade da escolha foi minha, como todos sabem nós "blogueiros" fazemos um rodízio, assim tornamos nossa escolha do mês mais democrática.

E com esse pensamento democrático na cabeça escolhi um vinho branco! Branco porque não me lembro de ter visto um branco comentado até hoje pela Confraria, branco porque o Brasil é um país tropical e bebemos os vinhos brancos gelados. Enfim branco porque sou um defensor dos brancos, não nego! O meu blog me entrega...

E um Torrontés, outro postado aqui no blog, porque temos um bom portfolio de vinhos desta cepa a disposição no mercado e há preços bem razoáveis . Torrontés porque esta uva faz vinhos aromáticos e eu os adoro. Torrontés porque Sauvignon Blanc e Chardonnay você leitor já bebeu, mas e esta uva de origem mediterrânea você já bebeu?

Este é um típico Torrontés, aromático e delicado, premiado com a Medalha de Prata no World Wine Chapionships Award.

Um vinho de cor amarelo-palha com reflexos esverdeados, "chora" muito na taça com lágrimas abundantes e de espessura fina. Os aromas remetem a flores, um verdadeiro jardim, acompanhado de notas de frutas brancas. O contra-rótulo fala em envelhecimento em carvalho americano, mas não percebi as notas de madeira.

Na boca um conjunto harmonioso, com os 14 graus de álcool bem integrados ao corpo leve e saboroso. Os retrogostos são florais, aquele toque verde e de leve amargor contrastando com a leve doçura incipiente da fruta ainda jovem. Tudo isso equilibrado por uma boa acidez que concede ao vinho frescor.

Um bom vinho para abrir um jantar, aquele que você prepara para rever grandes amigos e conta as notícias do presente lembrando com saudade de um passado de conquistas e alegrias.

Acompanhará muito bem saladas verdes com frutas cítricas como o morango ou a laranja. É uma boa opção para comida japonesa! Acredito também que pode fazer um bom par com peixes brancos e leves, como um linguado.

Não perderá qualidade ao longo do ano, mas não devemos gaurdá-lo por mais tempo, um ano é o máximo que podemos aguardar para consumí-lo, mas não recomendo, consuma-o assim, nessa empolgante juventude.

Espero que os confrades tenham apreciado. Aguardo as críticas...

Forte Abraço!

$$$

Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!