Duas notícias sobre o mundo do Vinho.

A primeira notícia é de cunho econômico. Os leilões de grandes vinhos estão com tudo novamente. Os valores negociados já se aproximam dos tempos pré-crise e o mercado asiático é o principal comprador! E o mercado norte-americano ainda demosstra força. Confira a matéria do portal Terra, clicando aqui!
A outra notícia fala que o espumante, mais precisamente a Champanhe deve ser servida bem gelada a míseros 04 graus celsius. E a taça deve estar inclinada! Assim preservaremos melhor os sabores e a efervescência da bebida. Está comporvado cientificamente, por estudiosos franceses, confira a matéria!
Forte Abraço!

Vinho & Saúde

Agora o Vivendo Vinhos tem uma página  dedicada aos benefícios que o vinho traz a saúde do ser humano. Nela você encontrará matérias e reportagens sobre o vinho e suas qualidades.
Mas como não sou médico nem mesmo um estudioso do assunto optei por postar links para esssas matérias, sempre de portais que tratam a informação com responsabilidade. Afinal credibilidade é importantíssimo.

Esses links estarão ordenados por cronologia, ou seja os links mais recentes estarão no topo da lista.
É só clicar no menu acima e começar a desfrutar da novidade.
Forte abraço!

Os Melhores de 2010!


É sempre difícil fazer uma lista dos melhores vinhos que experimentamos ao longo do ano... mas não podemos deixar de tentar... até porque esses aqui merecem ficar guardados para um momento especial...
E a Confraria da Mentira participou com alguns destes vinhos...
- Sequillo 2005
- Anwilka 2006
- Pintia 2003
- Robertson Almond Grave Late Harvest 2006
- The Chocolate Block 2008
- Mendel 2005
- Zeta 2004
- Tokaj Oremus 2000
O melhor nacional...
O melhor custo benefício...

Vinhos "Abatidos" no Natal...


A festa foi boa e a mesa estava farta...Os vinhos sulamericanos foram maioría, mas o português foi o melhor, só que o Riglos honrou a camisa argentina e surpreendeu! Confira a lista...
- Milésimme
- Linda Flor Chardonnay 2009
- Santa Carolina Reserva 2009
- Les Bousinalles 2005
- Particular 2006
- Riglos 2008
- Herdade dos Grous 2005
- Anakena Late Harvest 2006
- Tabalí Late Harvest 2007
Forte Abraço!

Mensagem de Natal

Que o Papai Noel de hoje seja sempre aquele que desejou, que traga sempre paz e harmonia, que a felicidade sempre flua forte em seu sorriso e que o amor seja transmitido com a simplicidade de um olhar.
Para todos que acompanharam este blog por mais esse ano, ou para você que acabou de chegar, um Natal pleno dos melhores sentimentos!
Felicidades!

Harmonizações de Natal...


Bom... Esse tema é um pouco ardiloso, já que são tantos os pratos envolvidos... afinal numa mesa farta sempre tem Peru, Porco, as vezes Bacalhau, outras tem Cordeiro, se dependesse da minha vontade só tería Cordeiro, como esse aí de cima...
Não tem fórmula mágica... infelizmente não tem um vinho que seja capaz de acompanhar todos os pratos, mas sempre tem um jeitinho de escolher dois ou três vinhos para toda a ceia.
Com as entradas, que no caso de muitas famílias são saladas verdes acompanhadas de frutas como manga por exemplo sugiro um bom espumante nacional, o brinde faz parta da festa! Apesar de não ser aquela harmonização... mas se as frutas que acompanharem a salada forem mais cítricas, como morangos ou maçãs, o seu espumante fará bonito. Se houver algo de frutos do mar nas entradas permaneça com o espumante... não há com que se preocupar.
Para o peru e cordeiro recomendo a Pinot Noir, se for acompanhado de cogumelos então... Mas vamos aos detalhes, se o seu bolso permitir, não hesite! Vá de Borgonha! Mas nem sempre é possível e ficamos com os sul-americanos... dê uma olhada no tempero do bicho, se for puxado em ervas, prefira os chilenos, caso contrário pode ser acompanhado de um argentino também, de preferência da Patagônia... na dúvida? Opte pelo chileno.
Já com o porco ou bacalhau minha sugestão é um tinto do Alentejo. Que faz um bom par com o famoso peixe há séculos, e como o porco normalmente é defumado e acompanhado de molhos doces, a 'fruta' do vinho formará um belo par. De preferência para os alentejanos sem ou com pouca madeira.
E com as pecaminosas sobremesas? Ficou difícil... são tantas que colocam em cima da mesa... opte por algo bem doce mesmo, o objetivo é sobrepor a sobremesa. Se puder vá de Late Harvest chileno, mas se o custo-benefício for importante, um bom moscatel nacional não decepcionará ninguém.
Lá em casa fazemos churrasco no dia 25, guarde seu Malbec para esse momento! Agora, dependendo da carne, se for costela por exemplo, eu prefiro um cabernet chileno.
Por fim, se tudo isso é um exagero e o que vale no Natal é celebrar, abra seu melhor vinho e sorria! Garanto que não tem erro e que será inesquecível!
Forte Abraço!

Retrospectiva Fotográfica de 2010

Em 2010 pude experimentar muitos vinhos e acompanhá-los de boa comida, vamos relembrar de alguns deles...









 









 

Pinord Cava Marrugat Brut #cbe

Espumante, Xarello, Macabeo, Parellada
Espumante
Pinord
Preço: R$ 37
Retorno a Confraria Brasileira de Enoblogs com esta Cava, é um prazer retornar com um vinho que esteja tào associado ao brinde e aos momentos de alegria e felicidade. Os espumantes são o tema especial do mês de dezembro que foi escolhido pelo Silvestre do Vivendo a Vida.
Sempre fui fà das Cavas devido a personalidade marcanteque possuem. E esta aqui é franca, demonstrando toda a sua força! De cor amarelo palha e leve reflexo esverdeado apresenta abundante e exuberante perlage. Os aromas trazem alguma nota de fruta, maçà verde entre outras, mas se destacam mesmo pelos aromas tostados, intensos e marcantes!
O ataque em boca apresenta certa rusticidade, de bom corpo e estupenda acidez, se for bebida fora da temperatura será desagradável, portanto deixe-a bem geladinha e desfrute dessa maravilha!
Pode acompanha frutos do mar ou risotos e massas feitas a base destes, mas acho que vai bem mesmo é com frios, especialmente presunto cru, como me sugeriram...
Boas Festas!

Voltei!!! E a Confraria da Mentira estava lá, aprontando para variar...

Eram pouco mais de 19hs quando cheguei, estava atrasado... os demais comensais já estavam à mesa... perplexo, o Confrade Emerson encarava o imponderável... finalmente, depois de anos de promessas, ele se fazía presente, conosco a mesa estava o Ruibarbo, talo parecido com o salsão mas de cor avermelhada e sabor fresco, finalmente o Daniel havía cumprido a promessa e comprado o ardiloso Ruibarbo... realmente este encontro prometía, digno de uma Confraria da Mentira! 
Após 90 e tantos dias sem beber estava literalmente seco por uma taça, atendendo a pesquisa que fiz por aqui, separei duas garrafas guardadas há um bom tempo na minha adega para este retorno. Mas, antes, para limpar a serpentina como diría meu amigo João Filipe, bebemos um espumante, Nocturno Brut, simples, agradável e sem grandes pretensões, como devería ser neste momento.
O restaurante escolhido foi o Olavo, um dos meus preferidos em Campinas, pois conta com a qualidade do Chef Rogério Silva além da competência de toda equipe. Depois de apreciarmos bolinhos de polenta recheados com presunto parma e queijo estepe e alguns pastéis de carne, partimos para os dois tintos argentinos que havía prometido. Eram eles: Zeta 2004 e Mendel Malbec 2005.
O prato escolhido foi o tradicional Bife de Chorizo acompanhado de batatas rústicas, como é usual no Olavo, estava estupendo! Os vinhos tinham toda esperada potência argentina, aliada a doçura, características da Malbec. O Zeta se mostrava mais elegante e com um conjunto mais clássico, pois a parcela de Tempranillo (30%) aportou boa acidez ao vinho. O Mendel era típico, os taninos vibrantes e maduros harmonizaram perfeitamente com a carne, enriquecendo o sabor. Enfim dois vinhaços com grande intensidade aromática e de excepcional persistência gustativa. Importante parabenizar a equipe do Olavo que decantou os vinhos por cerca de 01 hora antes de serví-los.
Após este extraordinário banquete viría a sobremesa, preparada pelo Chef com o Ruibarbo que foi trazido pelo Daniel. Um surpreendente Petit Gateau de Ruibarbo com sorvete de creme que estava fantástico! O Daniel ainda trouxe um Tokay Oremus 2000 que dispensa comentários, para beber rezando...
E assim foi o meu retorno as atividades etílicas... mais uma boa lembrança para contar!
Forte Abraço!

90 dias terminados... saiu o vencedor!!!

Após 90 dias de abstinência posso voltar a beber meus vinhos... amanhã recomeço as atividades! Reservei para este início dois vinhos do fundo da minha adega: Mendel Malbec 2005 e Zeta 2004, já que na pesquisa que realizei 30%, a maioria, votou no "vinho guardado no fundo da adega"...
Mas admito que brindarei este retorno com um espumante (24% dos votos) e meus amigos da Confraria da Mentira. Aliás um deles reservou um certo Tokay para amanhã... Vida difícil...
Forte Abraço!!!

A Consistência de um Produtor!

Essa semana a Wine Spectator apresentou a sua já famosa lista dos 10 melhores vinhos do ano. E mais uma vez encontramos a Clos des Papes em destaque, desta vez seu Chateaneuf Blanc 2009 conseguiu o décimo lugar. Lembro que em 2007 o Chateaneuf 2005 foi eleito o melhor vinho, só que o tinto.
Por essas e por outras os vinhos da Clos des papes tem preços estratosféricos, mas são uma experiência realmente marcante. Eu tive a oportnidade de degustar este ano um Clos des Papes Chateaneuf du Pape Blanc 2006, relembre... excepcionais lembranças!!!
Forte Abraço!

O Esporte Venceu! Que final de semana!!!

Depois de um sábado onde ví o documentário do Senna e relembrei de grandes momentos do esporte brasileiro e de um brasileiro que tinha orgulho de ser brasileiro e uma fé enorme, monumental. Aliás tem uma passagem que o Piquet defende o Senna, como a gente não sabe das coisas...
Um final de semana onde o bem venceu... onde o esporte venceu! Penso que podería abrir um grande vinho para comemorar, pois somos pessoas de bem e ficamos felizes quando isso acontece.
Parabéns a Red Bull pela responsabilidade, por transmitir a mensagem correta a tantos fãs, muitos deles crianças e adolescentes. Pensando bem acho que vou beber um whisky com você sabe o que...
Forte Abraço!

90 dias... Com que vinho eu vou???

Você que está acostumado a acompanhar este blog com certeza está chateado com o marasmo em que ele se encontra... pois bem tenho que ficar 90 dias sem beber e matade do caminho está para trás, mas agora me pergunto com que vinho eu devo retornar???
Dê um palpite... me ajude a escolher! Porque idéias, eu tenho milhares...
A enquete está a sua direita... ajuda aí!!!
Forte abraço!

Um Fim de Semana... Um Storia!

Depois de dois meses e um planejamento para lá de rápido, dois casais de amigos curtiram o frio e celebraram a amizade num fim de semana alegre e discreto do mês de setembro... Foi assim... simples e real, como deve ser.
Sábado, uma viagem curta e agradável pelo fim da madrugada: Aeroporto de Congonhas, outra viagem curta até o pequeno e simpático Aeroporto de Caxias do Sul, mas não tão agradável, uma decolagem que foi arremetida e mais alguns motivos para sacanear dois dos viajantes...
A chuva fina nos aguardava, carro alugado, sorriso no rosto, 50 km nos separavam do Vale dos Vinhedos. Com o "possante", viagem tranquila! Primeira parada: Vallontano, tema para outro post, vinícola pequena e agradável, recepção especial e fome... já passava das 13hs...
Acabamos na Casa Valduga, eu sei que já fui lá, mas o almoço vale a pena. Não tinha mesa para quatro pessoas, aguardamos... com um espumante rosé Brut, safra 2007, delicioso. Não tinha mesa mesmo! Fomos convidados a almoçar na Adega do Restaurante Maria Valduga, era mais um museu... grandes e antigas barricas decoravam o vasto espaço, fresco pelas paredes de pedra e imenso pé direito... ao centro, a mesa, enorme! 25 metros, cinquenta comensais poderíam desfrutar dos prazeres que ela viría a oferecer... enfim, pequenos grupos, como o nosso, foram acomodados ali.
Um garçom! Simpático, mas despreparado, acontece... não atrapalhou... a descontração era maior... mas, atrapalhado, o garçom surpreendeu-se com o pedido do vinho... voltou para confirmar... ligeiramente incrédulos ficamos, mas a sopa de capeletti estava perfeita e logo esquecemos...
Fortaia e polenta na mesa, lembrei da minha infância, pensei nos meus pais, sorrí, comí! Galeto! Tenro! A pele era crocante e o tempero era de um alecrim suave... delicioso... costelinha de porco, vitela... e massas... muitas, nove ao todo, saí derrotado! Não experimentei todas, quería... mas fui vencido... nem por isso saí triste, na verdade de joelhos... e agradecendo.
O vinho, safra 2006, não tinha a mesma força do irmão mais velho (2005), mas como podería? Era equilibrado, bom e frutado, nos satisfez! Um Storia para contar uma história, um verdadeiro deleite para um escritor amador como eu...
Bom... o Adeus fez-se iminente e pronto estávamos para Gramado, que nos aguardava com seu clima único e muitos outros bons momentos...
Forte Abraço e perdoem pela qualidade da foto.

Eu Blogo! Falo e Aprendo sobre Vinhos... Faço Amigos e me Divirto!

Você que chegou até aqui já leu 04 blogger's que comentaram sobre o ato de blogar... Chegou a minha vez de contribuir e fiquei pensando nos motivos que me levaram a blogar e porque estou aqui ainda.
Bom... comecei a blogar porque quería dividir minhas opiniões sobre vinho, escrever o que eu pensava e também receber opiniões sobre os vinhos que bebía, afinal o campo 'Comentários' está sempre lá... esperando o comentário do amigo. É aí que a coisa começa ganhar um tamanho incrível!!! Porque o ser humano é incrível... as pessoas que comentam meus posts podem ser passageiras porém muitas vieram para ficar. Comentam sobre os vinhos mas sempre abrem espaço para o início de uma amizade. Como diría Daniel Perches: "Fantástico!"
Então de pretenso 'crítico' de vinho passei a ser amigo de muitos enófilos apaixonados como eu, que estão aqui nesse mundo escrevendo por paixão, sem nenhum tipo de compromisso a não ser o que esses sujeitos tem com eles mesmos.
Aí não é que surge mais uma coincidência incrível!!! Todos eles cansados do viés elitizado que o vinho tem no Brasil, todos sempre lembrando o fim social do vinho que é celebrar, comemorar todas as vitórias e não só descobrir a melhor harmonização possível...
É lógico que todos nós conhecemos sobre o que estamos falando, cores, aromas ou sabores, mas para todos nós as características do vinho são um componente que quando somado ao todo faz a real diferença! Tudo junto traz prazer e diversão. Nada mais prazeroso que a alegria de um sorriso, não?
Agora... se você ainda não teve a oportunidade de ler o que o Paulo, Peter, João Filipe ou Alexandre escreveram, não perca tempo pois temos muito para celebrar ainda...
Ah! E o André do Enodeco ainda tem muito para contar...
Forte Abraço!

Casa Valduga Cabernet Franc 2006 #cbe

Tinto, Cabernet Franc
Brasil
Casa Valduga
Preço: R$ 32
Eu sei... atrasado mais uma vez... Mas aqui está miha escolha de Cabernet Franc nacional. O tema foi escolhido pelo confrade Jurandir do Blog Eu e o Vinho.
Bom... Eu gosto dos vinhos da Valduga mas esse aqui não me empolgou. Vamos a ele? Na taça apresentou coloração rubí violácea e lágrimas em abundância.
Os aromas estavam muito discretos, essa é a segunda vez que bebo este vinho nesta safra e essa característica, baixa intensidade aromática se mantém, não é o fim do mundo mas me desaponta. Enfim aromas de frutos vermelhos maduros, especiarias e evolução para chocolate.
Na boca o ataque foi gentil, taninos maduros, acidez correta, corpo médio, boa fruta no retrogosto e nenhum sinal de amargor. Mostrou equilíbrio mas não impressionou. Persistência gustativa razoável.
Casou bem com o Penne ao Sugo e as Porpetas que preparamos. É isso, um vinho bom, fica melhor se for desfrutado casualamente... sem grandes compromissos ou expectativas...
Forte Abraço!

Abre Aspas: Pai sempre é Pai...

Hoje o Abre Aspas não podería ser diferente, deve fazer uma menção aos Pais... e não ao vinho. Bom... eu preferí colocar aqui um dos ensinamentos que meu pai me deu do que procurar uma frase bonita, lógico que essas tem seu valor também. Mas, independente de onde chegarmos, sempre seremos reflexo do que nos foi ensinado.
"Filho só faça algo, só tome decisões com as quais você tem certeza que pode arcar com as consequências."
Forte Abraço!

Nederburg Noble Late Harvest 2007

 
Sobremesa, Chenin Blanc, Riesling, Moscatel
País: África do Sul
Nederburg
Preço: R$51
Era sexta-feira e depois de uma "novela" iría rolar o prometido filet a parmegianna do Emerson, autor do blog Toomate e um bom amigo. Eu me sentía insaciável para aquela noite... sabía que o amigo nos esperava com um espumante e levava comigo o excelente Chianti Riserva 2005 da Cantina Da Vinci, assunto para outro post...
Este late harvest estava há quase 02 anos na minha adega... e cada dia que passava eu ficava um pouco mais curioso em relação ao caldo, afinal a base dele é Chenin Blanc (70%)... no último momento peguei ele e levei... ninguém tinha sequer falado em vinho de sobremesa... Sería apenas o segundo vinho de sobremesa de origem sulafricana que experimentaría...
Após um pequeno atraso, chegamos! Os amigos, os sorrisos e os abraços... todos distribuídos prazerosamente... uma bela noite nos esperava... Espumante aberto, descontração e um jantar que começou com pão italiano e uma pasta de berinjela, obra da Vanessa que ainda nos ofereceu umas fatias de tomate e queijo com farinha de pão, olha não sei explicar, não sei se tem nome, só sei escrever que era bom... e ainda tinha um pesto de pistache e manjericão para acompanhar... brincadeira!!!
Enfim chegou o prometido: Filet a Parmegianna com Chianti, acabou o Chianti fomos para um Esporão Reserva 2006, belíssimo vinho que o Alexandre nos ofereceu. Ah! O meu filet foi duplo devidamente acompanhado de Taglarini feito pelo dono da casa, é... ele fez a massa... outro nível.
Já estávamos esbaldados e com nosso late harvest pronto para ser abatido. Na taça apresentou cor âmbar clara ainda com reflexos dourados, poucas lágrimas na taça, só 11% de álcool. Os aromas remeteram a mel, própolis, damasco e frutas secas.
Este néctar encheu a boca com um volume de sabor marcante. Escorregava rápido, doce, bem doce. Sabores suaves, lembrança cítrica misturada ao mel. Excelente acidez para sustentar a doçura. Belo vinho e em ótimo momento de consumo. Talvez pudesse ter um pouco mais de álcool mas é questão de gosto... e cada um tem o seu.
Enfim eu estava saciado...
Forte Abraço!

Almoço de Domingo: Ossobuco com Polenta e um Rosso di Montalcino


Era domingo e pouco passava das 07:00hs quando me levantei, minha esposa ainda dormía. Sonolento, caminhei até a cozinha e lá estavam os ossobucos que eu tinha comprado no dia anterior.Comí um pedaço de torrada com manteiga e comecei a picar os vegetais.
Quando fazemos um prato como esse não devemos ter pressa, afinal são horas e horas que a carne fica cozinhando... Para você ter idéia meu ossobuco foi ficar pronto por volta das 11hs, só aí comecei a polenta...
Uma comida tão tradicional e que leva tanto tempo para ser preparada deve ter companhia de um belo vinho, escolhí o Rosso di Montalcino Casanova di Neri 2006. Novo, demonstrou cor rubí violácea, aromas intensos de frutas do bosque, evoluindo para secas, além de herbáceos, especiarias, chocolate e café. Estruturado este vinho "encheu" a boca, conjunto bem equilibrado com grande volume de taninos e acidez excepcional. Porém, para a harmonização em sí, os taninos ainda estavam um pouco fortes e não conseguí o resultado que desejava mas nem por isso foi ruim. Um belo vinho e uma bela comida, só o tempo consegue explicar...

Ah! Dei um toque luso no meu prato... finalizei a polenta com lascas de azeitona preta... quando misturamos com o molho... outra experiência! A receita está no blog da Vanessa, só fiz uma alteração... manjericão por tomilho, gosto... nada mais do que gosto...
Forte abraço!

Picció Syrah 2006

Tinto, Syrah
País: Itália
Podere Castorani
R$ -
Eu era muito curiosos em relação aos Syrah`s do sul da Itália afinal essa cepa francesa vem sendo cultivada com sucesso por lá e eu não tinha experimentado nenhum ainda. Eis que meu grande amigo Alexandre me presenteia com este vinho da Podere Castorani.
Essa vinícola foi fundada em 1793... precisa falar algo mais? De vinho eles entendem... Esta experiëncia me mostrou um Syrah mais elegante, normalmente quando bebo um Syrah espero um vinho com muita presença em boca, com uma "pegada forte", mas este aqui é volumoso mas não é agressivo.
Na taça apresentou cor rubí violácea, brilhante e intransponível. Os aromas remeteram a frutas veremelhas frescas como morangos e framboesas além nuances de especiarias completavam o painel típico da Syrah, destaque para a pimenta.
Na boca o vinho demonstrou boa estrutura, bom volume de taninos e sedosos, sem amargor e excelente acidez, essa úlitma influência total do terroir italiano! Os sabores confirmaram os aromas e final de boa persistência.
Abrí este vinho com um casal de amigos e um maravilhos pão de calabresa que minha esposa fez, a foto, que não ficou boa... perdoem... está logo abaixo.
Forte abraço!

Mais "Palhaçada" na F1... Um brinde a Carlos Reutemann, Didier Pironi e René Arnoux!

Mais palhaçada na F1... e esse fã aqui cada vez tem menos vontade de assistir as corridas e brindar as vitórias dos pilotos brasileiros... Sabemos que são situações difíceis, contratos e mais contratos, inúmeras e desgastantes cláusulas...
Mas os três pilotos do título deste post ainda faziam da F1 um esporte! Para eles, com certeza, eu abriría meu melhor vinho... clique aqui e descubra o porquê.
Forte Abraço!

Retsína "Karaváki" EKP, um Vinho Intrigante...


Branco, Savatianó e Rodítis
País: Grécia
Cambás
R$ 32
Como disse terça-feira foi o dia da amizade então decidí abrir alguns vinhos e receber os amigos para brindar, celebrar!
E começamos a noite com este Retsína. Eu tinha uma enorme curiosidade em relação a estes vinhos. Curiosidade da antiga tradição grega de vinificá-los com resina de pinho e qual sería o resultado disso...
O nome "Karaváki" seginifica barco, que é devido ao rótulo. É conhecido desta forma na Grécia.
Bom, não é um vinho para todos os dias nem um vinho de exceção, sei lá... é um vinho intrigante... na verdade é para saciarmos estas curiosidades que sempre possuímos. Abra com alguns amigos pois se trata de algo diferente e nem sempre agrada a todos, foi o que aconteceu na terça.
De com amarelo palha ainda com reflexo esverdeado e poucas lágrimas. Aromas verdes dominates, mas diferente do que estamos acostumados, remetem a mata silvestre, muitas ervas, madeira (com certeza pinho, vai evoluindo para um resinoso. Complexo e intenso mas sobretudo: diferente!
Na boca corpo médio mas de sabores acentuados, fortes, marcantes. Sabores verdes confirmando o olfato. Seco, álcool correto e sem amargor. Boa persistência. Deve ser apreciado sozinho sem a companhia de pratos, eu acho...
Acredito ser melhor abrir com outros comensais pois muitos não beberíam duas taças deste vinho. E isso não significa que ele é ruim, apenas particular. Sendo assim, não agrada todos os paladares.
Forte Abraço!

20 de Julho... Dia da Amizade! E Vinhos que Emocionam...

um brinde de amigos no Varanda

Hoje é 20 de julho, dia da amizade! Amizade que é um sentimento universal, já que todos nós a sentimos, independente de cor, raça, religião, caráter, etc. Deus a permite para todos! E todos que passam por esse mundo não tem a opção de não sentí-la.
E o que um blog de vinhos está fazendo quando fala sobre amizade? Está apenas lembrando que a bebida, seja ela qual for, cerveja, vodca, whisky ou mesmo o vinho, foi criada para celebrar, para comemorar e entre as celebrações nós devemos celebrar a amizade!
É verdade... na vida, amigos vem e vão... por isso você, eu, todos, devemos aproveitar ao máximo o tempo que temos com cada amigo que a vida nos apresenta. Realmente curtir, porque os amigos não se veêm durante anos mas quando se encontram os anos que passaram se tornam segundos, a amizade é assim... atemporal!
E tem mais... com os amigos dividimos alegrias e tristezas, chorar e sorrir é quase intrínseco a uma grande amizade... muitas vezes é mais fácil dividir algum medo com os amigos de com os familiares, vai entender o porquê... porque nossos amigos não se importam com os nossos defeitos e qualidades, eles nos admiram pelo que somos!!! Sejamos pobres, ricos, felizes ou amargurados.
Simples assim... amigos se emocionam conosco, as vitórias deles são as nossas e as nossas são as maiores vitórias deles... um espetáculo! Um espetáculo daquilo que o ser humano é na sua essência: sentimento, emoção!
E se o ser humano é emoção... por que não abrir aquele vinho especial hoje? Aquele que te emocionou... aquele que estamos guardando para um "momento especial"... Quer algo mais especial que receber os amigos???
Forte abraço!

Miolo Terroir 2005, o Melhor Merlot do Mundo! A Matéria da Época e os Detalhes que não Podemos Deixar Passar...

Dirceu Vianna Junior, Master of Wine, realizou um esstudo, uma tese, para conclusão do seu curo no Institute of Masters of Wine. Essa tese teve como tema a qualidade do vinho produzido a partir da Merlot em território tupiniquim e tudo isso além de uma entrevista com o próprio Dirceu foram tema para a matéria da Época. Você pode conhecer o conteúdo da entrevista clicando aqui, porém só terá acesso a entrevista o conteúdo restante só para assinantes Época ou se adquirir a revista, ok?.
Bom para evitar polemizar devemos nos ater a alguns pontos, primeiro é ótimo ver oito vinhos nacionais entre os 10 melhores do painel, mas nem por isso o Merlot Terroir 2005 é o melhor Melot do Mundo, isso é exagero. Claro que é um painel extenso que comtempla mais 10 regiões produtoras de Melot e todas elas de qualidade e que os degustadores são os melhores mas existem outras hipóteses que nos devem trazer mais humildade em relação a essa afirmação.
Segundo a faixa de preço comtemplava vinhos entre 5 e 15 libras, algo em torno de R$ 15 a R$ 45 no Brasil, porém em preços de atacado. Ou seja o consumidor final inglês não pagaría esses valores pelos vinhos. Temos que tomar cuidado também em afirmar então que nossos vinhos são os de melhor custo-benefício do mundo.
Depois dessas duas questões vamos as próprias palavras do Dirceu sobre o vinho nacional, abre aspas... "Seria uma falsa generalização e um erro grosseiro dizer que os vinhos brasileiros são os melhores do mundo. O que pode-se concluir é que em safras boas e respeitando um certa faixa de preço os vinhos brasileiros têm condições de ser tão bons ou melhores que vários importados."
Quando estudamos com detalhe a lista do Top Ten notamos que todos os vinhos são da safra 2005, que foi simplesmente a melhor safra que o Brasil já produziu, comparando com Chile, por exemplo, que tem um vinho no Top Ten, sendo este da safra 2006, uma safra boa mas não excepcional como a nossa.
Outro ponto abordado por Dirceu Vianna Jr foi a consistência da produção do vinho nacional que infelizmente não existe... "Por outro lado, a maioria dos 10 últimos colocados também eram vinhos brasileiros, demonstrando que ainda existe muito trabalho para ser feito até que a região apresente uma certa consistência."
Enfim ainda há referências a evoluções que nossos produtores devem fazer, tanto técnico como na manutenção dos vinhedos além da criação da DOC Vale dos Vinhedos que está sendo discutida. Também há informações interessantes sobre a melhor adaptação da Merlot ao nosso solo. É sim uma bela entrevista e cheia de conteúdo, como deve ser! Mas nào vamos sair falando mundo afora que nós somos o país da Merlot porque, como procurei demonstrar acima, nào somos.
Conclusão que eu tiro de tudo isso? É que o vinho nacional está melhorando mas tem muitos desafios pela frente. Esse estudo e tantos prêmios demonstram que nosso produtor vem evoluindo significativamente no quesito qualidade, apesar de não termos a consistência que precisamos ainda nos vinhos tintos. Consistência que já possuímos nos espumantes e já teríamos nos brancos se houvesse algum foco neles.
Enfim a primeira grande "via" para implantação da cultura do vinho no Brasil está sendo trilhada e está colhendo seus resultados. Mas infelizmente a segunda nem é comentada e nem discutida, talvez só por nós consumidores, que é como reduzir o preço do vinho nacional?
Forte Abraço!

Almoço de Domingo: Penne ao Molho de Funghi com Cubos de Filet Mignon


Vá as compras, "tire o escorpião do bolso" e invista alguns R$ numa boa massa de grão duro, não esqueça de 300g de filet mignon, 50g de funghi, uma lata de creme de leite, salsinha e cebolinha e cebola.
Daí você já sabe, hidrate o funghi, utilize um caldo para acentuar o sabor, ah! reserve parte do caldo (duas conchas), após a hidratação para acrescentar a água de cozimento do Penne, tem o mesmo objetivo: acentuar o sabor!
Bom, enquanto o funghi hidratava nós picamos a cebola bem pequena e o filet mignon em cubos também pequenos. Funghi hidratado também deve ser picado mas de forma grosseira, a salsinha e a cebolinha devem ser no capricho...
Opa! Água fervente, pra lá com 200g de penne, não esqueça de ferver a água com o caldo que mencionei, ok?
Numa frigideira grande refogue na manteiga os cubos de filet mignon, quando eles chegarem ao ponto, afaste-os do meio da frigideira levando-os até o limite dmesma e refogue rapidamente a cebola no centro, acrescente uma colher de manteiga se desejar. Dourou! Hora do funghi cair na panela... rapidamente refogue-o e misture com os demais ingredientes. Terminou? Não! Fogo baixo e creme de leite, sem o soro logicamente, misture delicadamente até a cor do mesmo atingir uma espécie de marrom claro.
Durante tudo isso seu penne ficou pronto, do escorredor para a frigideira e novamente misture sem pressa até que o molho se integre ao penne. Finalize com a salsinha e cebolinha picada.
Escolha um bom vinho e um bom parmesão. Eu ainda recebí o lindo sorriso da Val, quer mais?
Forte Abraço!

Conde de Valdemar Crianza 2004

Tinto, 85% Tempranillo, 15% Mazuelo
País: Espanha
Bodegas Valedmar
Preço: R$ 62
Este vinho apareceu no Montando a Adega - Espanha por indicação do amigo Beto Duarte e foi uma grata surpresa poder degustá-lo na Confraria Pão do Cambuí na companhia do também amigo Jean Krause.
Este vinho tem sua origem na aclamada Rioja e matura cerca de 16 meses em carvalho tem um bom preço e é muito agradável. Na minha opinião foi o melhor da noite e teve concorrentes fortes.
A cor ainda é rubí brilhante e translúcida, sem reflexos. Os aromas trazem complexidade e boa intensidade com frutas negras maduras, especiarias e toques animais e defumados.
Este vinho "enche a boca" com seu bom corpo, boa acidez, bom volume tânico, é macio, tem boa persistência e não apresenta sinais de álcool ou de amargor. Tem tudo que um vinho precisa ter para ostentar o chamado equilíbrio, e que equilíbrio!
Casou muito bem com os embutidos que foram servidos na noite. Pratos com bom volume de sabor podem fazer um bom papel com ele, mas não podem ser rústicos ou muito fortes.
Forte Abraço!

Fleur du Cap Sauvignon Blanc 2007 #cbe

Branco, 100% Sauvignon Blanc
País: África do Sul
Fleur du Cap
Preço: R$ 32
Mais um vinho da Confraria Brasileira de Enoblogs desta vez selecionado pelo confrade Luis Sergio da Vitis Vinifera. Na verdade ele sugeriu Nederburg Twenty 10 Sauvignon Blanc, mas eu não encontrei e fui de Fleur du Cap.
Nosso exemplar vem de Stellenbosch, é varietal e apresenta graduação alcóolica de 14%, ao melhor estilo Novo Mundo.
Na taça chamou atenção pela cor amarelo palha e sem reflexos, apesar dos três anos de idade. O nariz é intenso marcado pelas notas herbáceas, como os chilenos de safras novas. Com algum tempo de descanso na taça notas de frutas cítricas timidamente dão o ar da graça...
A boca confirma o nariz, retrogosto herbáceo, boa acidez, corpo médio e persistência razoável. Correto, eu diría, mas sem impressionar.
Eu e a Val desfrutamos com um risoto de camarões, que afirmo humildademente estava superior ao vinho, pena... o meu risoto talvez precisasse de mais ervas para uma melhor harmonização, acho que especialmente manjericão... Mas fica a foto...
Forte abraço!

Rust en Vrede Shiraz 2003

Tinto, 100% Shiraz
País: África do Sul
Rust En Vrede
Preço: R$ 106
Mais um belo vinho sul-africano por aqui. Conhecí este também na Confraria Pão do Cambuí dirigida pelo amigo e sommelier Jean Krause.
De cor rubí intensa e lágrimas abundantes esse vinho confirmou seus 14,5% de álcool na análise visual.
Os aromas remeteram a frutas frescas e especiarias. Com algum tempo na taça notas de côco surgiram insinuantes e confessando que o carvalho utilizado nos 18 meses de maturação era americano...
Na boca o ataque mostrou potência, quente este vinho apresentou bom corpo, taninos maduros e boa persistência. A madeira não sobrepôs a fruta o que é muito interessante já que 18 meses de maturação de carvalho é um belo período de descanso.
Na minha opinião um Syrah melhor que a maioria dos australianos e coincidência ou não mais um belo Syrah de Stellenbosch, acho que esta cepa francesa vem despontando com mias força por lá...
Pratos com grande volume de sabor para acompanhar este vinho, de preferência carnes de "segunda"cozidas lentamente e bem temperadas.
Forte Abraço!

Tikal Amorio 2006

Tinto, 100% Malbec
País: Argentina
Tikal (Ernesto Catena)
Preço: R$ 72
Esse foi o primeiro vinho de uma noite muito agradável que passei na Confraria do Pão do Cambuí. O sommelier Jean Krause selecionou 04 bons vinhos para esta noite e vou apresentá-los durante essa semana.
Começo por esse varietal de Malbec, sempre tive curiosidade em relação aos vinhos Tikal, são respeitados no mercado e sempre obtém boas notas, apesar de eu sempre ter "um pé atrás" com as notas...
Enfim um excelente Malbec demonstrando todas as características dessa cepa. Vinho maturado 12 meses em barricas de carvalho francês com 14% de graduação alcóolica e sem filtração.
Novo ainda apresentou a cor rubí-violácea escura e intransponível, carcaterística da Malbec refinada em madeira. O álcool também apareceu na análise visual através das abundantes lágrimas.
Aromas característicos e de boa intensidade, destaque para as frutas negras em geléia e as especiarias, pimenta entre outras... as notas de madeira surgiram com o tempo na taça.
Na boca teve a melhor performance. Tânico, encorpado e elegante ao mesmo tempo, muita fruta no retrogosto persistente. Agradável, implorando por um Bife de Chorizo na sua mesa...
Um vinho muito bacana, um Malbec diferenciado, vale a pena conhecer. Existe também no mercado o Tikal Patriota que corta Malbec com Bonarda, ainda não provei, mas ando curioso...
Forte Abraço!

Porucupine Rideg Syrah 2008 #cbe


Tinto, 100% Syrah
País: África do Sul
Boekenhotskloof
Preço: R$56
Primeiro peço desculpas a todos os amigos e leitores por esta ausëncia de 30 dias... foram inúmeras as razões que me impediram de postar mas o importante é que estão superadas. Um pedido de desculpas especial aos confrades da CBE que postaram no último dia 15 um vinho sul-africano devido a uma sugestào que partiu deste blogger.
Aproveitando para colocar a casa em dia segue o vinho sul-africano que selecionei, um Syrah com muita pegada e um ótimo vinho na sua faixa de preço, superior a muitos australianos que encontramos por aí...
Tingiu a taça com sua cor rubí-violácea escura, quase negra... impenetrável! Um pequeno halo aquoso se manifestou sugerindo consumo nos próximos anos. Chorão, com lágrimas espessas e abundantes denotando 14,5% de álcool.
Os aromas tem boa intensidade com frutas negras maduras, muitas especiarias e notas animais. Evoluiu com o tempo na taça demonstrando notas balsâmicas e químicas. Boa complexidade.
Na boca demonstra muito volume, encorpado, com boa estrutura para sustentar o álcool e os maduros taninos. Boa persistëncia, sem amargor e com retrogosto frutado.
Enfim um belo Syrah que pode ser guardado por mais três anos. Sugiro harmonizar com embutidos, de preferëncia com massas, como o belo Capelleti ao molho de calabreza que a Val fez...
Forte Abraço!

Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!