E o Vencedor é...

Saiu o vencedor da primeira promoção Vivendo Vinhos!!! Por coincidência um blogger... foi o Claudio do Le Vin au Blog... Parabéns e espero que desfrute do Serrera del Pecado!
Obrigado a todos que participaram e especialmente a Vinhos Web que apoiou essa iniciativa.
Forte Abraço!

Abre Aspas: Vinhos e Sapatos...


Era fim da ano e o João Filipe Clemente apareceu em Jundiaí para bebermos um vinho na Rossobianco. Enquanto aguardávamos minha esposa comprar sapatos, JFC soltou, aos risos e sem preconceito, alguma coisa assim...
"Comprar muitos vinhos é nossa vingança contra os milhares sapatos de nossas esposas... risos"

Painter Bridge Zinfandel 2006, apenas razoável...


Tinto, Zinfandel
EUA
Jerry Lohr
Preço: R$ 55
Olha... me frustrei com esse vinho... não é dos piores vinhos que já bebí mas não rendeu...
Era um sábado e fui almoçar com os amigos Daniel (Vinhos de Corte) e Alexandre (Diário de Baco), o prato principal era uma costela de porco ao molho agridoce, então sugerí aos amigos que experimentássemos vinhos de Primitivo ou Zinfandel, acabamos escolhendo pelos segundos...
Eu levei este Painter Bridge baseado no bom histórico do vinho, o próprio Daniel já havía provado, e no excelente chardonnay da mesma linha. Mas...
O vinho apresentou cor rubí com reflexo tijolo e lágrimas em abundância. Os aromas remeteram a frutas passadas, terra e animal, aliás a mistura dessas duas traz aquela sensação de estrebaria... apesar de ser considerado um aroma complexo admito que não é agradável...
Na boca corpo médio, acidez moderada, sabores de ligeira persistência e... faltou aquela potência da Zinfandel, aquele final doce... enfim, com certeza, o melhor momento de consumo desse vinho já passou...
Forte Abraço!

Almoço de Domingo: Fetucinne de Funghi ao Molho Branco acompanhado de Medalhões de Filet Mignon e Lote 43 2004

Sempre quis ter algo dedicado a gastronomia. Da mesma forma descontraída começo essa seção... a idéia não é fazer receitas mirabolantes, mas sim praticar algo fácil e acessível, algo que possa ser feito no 'Almoço de Domingo'. Assim tenho o objetivo de elaborar pratos especiais porém que custem até R$ 20 por pessoa, o acessível engloba esse conceito. Já o vinho é um capítulo a parte! Cada um escolhe conforme o bolso e se diverte!
Esse primeiro trata-se de uma massa! Um fetucinne de funghi! Essa massa é importada, italiana na verdade e tem funghi triturado na massa, cozinha muito rápido, em 05 minutos está pronta. Fiz um molho branco e recebí o lindo sorriso da Val...
Acompanhei com medalhões de filet mignon. Aqui tem um truque para obtermos aquela carne rosada por dentro e sem sangue correndo pelo prato... Primeiro aqueça a frigideira sem azeite, aqueça bem até ela "fumegar" somente depois despeje o azeite, utilize o azeite de oliva pois esse alcança maiores temperaturas, ok? Depois frite os medalhões... Enquanto eles fritam, aqueça no microondas um prato, quando os medalhões estiveram fritos dos dois lados, mas ainda mal passados, os disponha no prato quente e abafe com papel alumínio (parte brilhante para dentro). Pronto! Depois de 03 minutinhos eles estarão rosados por dentro...
Bom... depois disso escolha um bom vinho, eu fui de Lote 43, os cortes bordaleses sempre me agradaram com molhos brancos ou a base de leite, apesar de não serem uma harmonização tão recomendável...
Mas posso garantir que o Lote 43 acompanhou bem, já tinha sua evolução, os aromas trazíam notas secundárias e o café e chocolate dominaram durante a refeição. Os sabores traziam uma fruta mais madura quase passada o que ajudou na harmonização com o funghi. O corpo e a acidez sustentaram bem o molho e a carne. Ficou bem legal mesmo.
Experimente! Este prato fica por uns R$ 15 por pessoa. É fácil e rápido! Convide os amigos, o retorno em sorrisos e elogios é garantido!
Forte Abraço!

Finca La Linda Malbec 2005


Tinto, Malbec
Argentina
Luigi Bosca
R$ 33
Sempre fico curioso com os "Best Buy's" que os críticos escolhem... alguma vezes duvido dos vinhos e dos críticos. Sabem como é... O malbec mais simples da Luigi Bosca sempre recebe boas notas e sou obrigado a admitir que nunca provei um ruim...
Mas sempre me questionei sobre a longevidade destes vinhos... Bom... eu sou um sujeito meio metódico para essas coisas... Enfim, comprei as garrafas e guardei! Abrí... E a qualidade do vinho se confirmou! Com 05 anos de idade e apenas três meses de madeira o Malbec mostrou-se maduro e em excelente momento de consumo!
Surpreendente em todos os sentidos, este mendocino foi característico! Na cor apresentou rubí intenso e opaco. Lágrimas abundantes que denotam o álcool notado no nariz e boca.
Aliás falando em aromas os secundários dominaram, com notas terrosas, couro e um delicioso chocolate! As frutas eram doces e negras, como uma calda doce que cobre um sorvete de creme...
Na boca o álcool sobressaiu esquentando suavemente o palato. Mas a acidez e o bom corpo o sustentaram. O retrogosto confirmou a fruta doce e os taninos, em abundância, já estavam maduros e aveludando a boca até a ponta da língua...
Um vinho que demonstra muitas qualidades e pede um bom prato a mesa!
Forte Abraço!

Promoção: Concorra a uma garrafa de vinho!!!


Ainda dá tempo!!! Você tem até o próximo dia 25 para deixar um comentário com seu e-mail e concorrer a uma garrafa de Serrera del Pecado 2007, corte de Malbec e Cabernet Sauvignon.
Pode ser nesse post ou na coluna Opinião
Essa promoção tem o apoio:

Degustando por Aí!!! Casa Valduga


Era 26 de dezembro, depois de um Natal repleto de alegria e paz junto dos familiares, alguns que não vía há anos, decidimos ir até o Vale dos Vinhedos, beber um pouco mais de vinho, por que não? Afinal estávamos em Caxias do Sul apenas 42 km nos separavam de Bento Gonçalves...
Seguimos para a Casa Valduga depois das referências que um dos meus tios havía passado, como se precisasse... A viagem foi tranquila e levou aproximadamente 40 minutos saindo do centro de Caxias. Logo na entrada do Vale há um local, uma 'casinha' onde nós turistas podemos obter informações e mapas, é bem organizada e objetiva, contribuindo assim para uma viagem legal e proveitosa.
Cerca de 10 minutos depois estávamos entrando na Casa Valduga, que impressiona pela organização mas também pela preservação de 134 anos de história, notados nas casas e prédios construídos com pedras, rústicos, mas belíssimos!!!
Sala de Degustação
Estávamos aguardando na loja (Enoteca Valduga) o início de nossa visita, tranquilos conversando com os atendentes sobre o magnífico Storia e quando estaría disponível na safra 2006, já que a 2005 ficou na história, quando o sócio Sr João Valduga adentrou o recinto e de forma calorosa nos recebeu. Foi uma ótima experiência conversar com um dos irmãos e proprietários. Deu dicas sobre os vinhos e deixou escapar que talvez no meio do ano a nova safra do Storia comece a ser comercializada.
Eu e João Valduga
A visita, passeio pela Vila Valduga e as caves foi simples, objetivo e enriquecedor. Conduzido com graça e conhecimento pela simpática Cristiane que também conduziu a degustação de 06 rótulos da casa: dois tintos, dois brancos e dois espumantes. Para o passeio investí R$ 20 comprando uma taça de degustação. O vinho que mais valeu a pena foi o Casa Valduga Gran Reserva Chardonnay 2008... E a surpresa foi o Espumante de Moscatel que tem doçura mas não é melado como encontramos com facilidade... Resultado: uma garrafa de cada na mala e mais uma do Villa Lobos 2005...
Nem pestanejamos muito com o pedido da Val e nos dirigimos ao Ristorante Maria Valduga que oferece o melhor da gastronomia da Serra Gaúcha de forma agradável em ambiente requintadol. O restaurante oferece entradas, sopa de Capeletti, polenta brustolada, quatro tipos de carne (Coxa e Sobrecoxa de Frango, Vitelo, Costelinha e Pernil Suínos), oito tipos de massa (Destaque para o tradicional Torteii), dois tipos de sobremesa, mais algumas delícias e uma taça de espumante para brindar! Tudo isso por R$ 35!! No quesito outras bebidas você encontrará apenas as produzidas na casa e água, nada de refrigerantes.
E assim seguimos para Carlos Barbosa visitar a Tramontina... felizes e satisfeitos!
Forte Abraço!!!

Abre Aspas: Harmonização...

Meu amigo Alexandre Frias(Diário de Baco) twitou há alguns dias...
"Harmonizar é isso: um prato que harmoniza com o vinho, que harmoniza com a gente."

Vinha da Tapada 2005, Descompromissado...


Tinto, Aragonês, Trincadeira, Castelão Cabernet Sauvignon
Portugal
Herdade dos Coelheiros
R$ 45
Com certeza uma das melhores opções Alentejanas a disposição no mercado brasileiro. Os vinhos do Alentejo me agradam cada vez mais... Este aqui surpreende por sua textura macia e ao mesmo tempo intensa.
À taça apresnte cor rubí com reflexos ferrugem (granada) e halo aquoso aparente denotando evolução. Lágrumas abundantes. O nariz é intenso com aromas de cerejas maduras, notas de chocolate e couros completam o painel com o devido tempo na taça.
Na boca está sua maior qualidade! Retrogosto de cereja intenso e persistente! Corpo médio mas com taninos macios e presentes. Acidez e álcool equilibrados.
Um vinho que agrada fácil pois é frutado e não seca muito a boca, suavemente doce, dando a ele uma característica gastronômica. É o tipo de vinho para se beber com os amigos e pizza! Leve, descompromissado chega a ser alegre se isso é possível...
Outro ponto importante é que enocntramos este em meia-garrafa, R$ 27 cada, o que o torna mais versátil e uma boa opção para o jantar de meio de semana onde não queremos exagerar...
Forte Abraço!

Fortaleza do Seival Viognier 2008, Um Vinho Honesto


Branco, 100% Viognier
Brasil
Miolo
Preço: R$ 25
Mais um branco do projeto da Miolo na Campanha Gaúcha. Este Viognier foi o primeiro de sua espécie, foi a primeira vez que a Miolo utilizou e produziu uma safra deste vinho com fins comerciais.
Por tratas-se de um princípio acho que o vinho se comportou bem! As vinhas devem ter no máximo 08 anos e os vinhos por consequência não tem a mesma concentração nem a mesma elegância de vinhas mais velhas.
Na taça a cor amarelo palha apresentou leves reflexos dourados e muitas lágrimas. Os aromas remeteram a frutas brancas como pêra e pêssego, aqui um ponto a desenvolver, num Viognier esperamos sempre exuberância aromática, complexidade e intensidade na sua melhor forma, nosso nacional tem alguns passos a dar ainda...
Na boca o ataque foi marcado por leve untuosidade e bom equilíbrio. Acidez, álcool e corpo estavam em harmonia. Retrogosto frutado e de final ligeiro.
Hoje um vinho para entradas e um final de tarde relaxado e descompromissado.
Forte Abraço!

Abre Aspas: o Luiz Horta Rezou...

O fantástico Luiz Horta rezou no seu twitter no penúltimo dia de 2009:
"Reza: Todo Poderoso, que em 2010 as pessoas não usem mais o verbo degustar e passem a beber de novo. Obrigado, amem."

Que tal uma garrafa de Serrera del Pecado?


Participa da coluna Opinião e concorra a uma garrafa de Serrera del Pecado Malbec/Cabernet Sauvignon 2007! É fácil, apenas deixe seu e-mail nos 'comentários' da coluna, não precisa expressar nenhum argumento.

Participe!!!

Two Oceans Shiraz 2008



Tinto, Shiraz (Syrah)
África do Sul
Two Oceans
Preço: R$ 25
Como havía prometido... vinho fraco e desequilibrado com acidez pronunciada, passando por cima inclusive do álcool. Ruim, não recomendável! Enfim... um mico!!!
Para não dizer que é preconceito... eu gostei do Rosé do mesmo produtor... clique aqui e confira!
Forte Abraço!

Opinião Vivendo Vinhos: Taxa de Rolha


Bom.. Vamos estrear a coluna de opinião do Vivendo Vinhos tratando de um tema complicado, um tema que gera diversas posições, a 'rolha'! Sou contra a cobrança mas vou tentar apresentar as duas posições de forma sucinta e objetiva. O espaço de comentários está aberto para a sua opinião! Não somos obrigados a concordar, certo?
Mas antes vamos explicar o que é essa tal de 'rolha'? Afinal nem todos devem saber. A taxa de 'rolha' na verdade é uma tarifa cobrada pelos bares e restaurantes quando o cliente leva o próprio vinho ou whisky ou outra bebida qualquer. Para cada garrafa que o estabelecimento abre (por isso fala-se 'rolha') o mesmo cobra um valor. Já ví a tal da 'rolha' chegar a módicos R$ 100.
Agora que sabemos o que é a 'rolha' vamos tratar do assunto com cautela. Os restaurantes argumentam que fazem investimentos em taças, profissionais(sommelier), adegas climatizadas, rótulos, etc e por isso fazem a cobrança. Esses são basicamente os argumentos que defendem a 'rolha'.
Os refuto baseado na lógica do negócio do restaurante. Como àquele 'restaurante x' pode existir sem esses elementos? Esses investimentos são intrínsecos ao negócio e devem ter seu retorno conforme o crescimento do estabelecimento. Sinceramente não acredito que alguém leve um vinho a um bar ou restaurante que não esteja apto a lhe atender bem.
Ainda, para completar, será que os restaurantes não percebem que a cobrança é dupla??? Afinal já existem os 10% de serviço... que muitas vezes são cobrados sobre o preço da 'rolha'.
Talvez você esteja se perguntando porque eu quero levar o vinho? Já que frequento restaurantes que normalmente tem cartas elaboradas e com boas opções. São duas as razões, primeira o restaurante não tem obrigação de ter na carta o vinho que desejo beber; segunda as margens de lucro praticadas atualmente são exageradas, normalmente os restaurantes dobram os preços que encontramos nas etiquetas das lojas, acho que o preço fica injusto.
Por fim gostaría de dar uma sugestão aos restaurantes que praticam a 'rolha', mudem essa política! Fica aqui uma outra opção, como pratica a Casa Bráz de Campinas, se o cliente levar um vinho que não está na carta nada é cobrado mas se o vinho estiver na carta é cobrado o preço da carta. É possível... e com inteligência...

Enfim, mais uma vez convido você a participar!
Por fim estou lançando essa coluna com uma promoção! Afinal quem não gosta de ser presenteado com uma garrafa de vinho??? Deixe um comentário com seu e-mail e concorra a uma garrafa de Serrera Del Pecado 2007! Harmônico corte de Malbec e Cabernet Sauvignon. Não é preciso opinar sobre a 'rolha' apenas deixar seu e-mail.
Serão aceitos comentários até 25 de janeiro! O vencedor será anunciado dia 31 deste mês. Esssa promoção tem o apoio da Vinhos Web.
Forte Abraço!


Fortaleza do Seival Pinot Grigio 2009, Uma opção refrescante...



Branco, 100% Pinot Grigio
Brasil
Miolo
Preço: R$ 25
Começamos 2010 com mais um bom branco nacional, surpreendente na verdade. Oriundo do projeto da Miolo na Campanha Gaúcha este vinho mostrou boa presença marcada pela sua leveza e sensação refrescância. Lembrou bem seus primos italianos.
Na taça apresentou cor amarelo palha com discretíssimo reflexo esverdeado. Correram pelas paredes das taças abundantes e espessas lágrimas. O nariz mostrou boa intensidade aromática passando pelo abacaxí, pêssego e erva-doce.
Na boca marcou pela leveza e frescor, de alta acidez e retrogosto confirmando a erva-doce, final ligeiro e prazeroso. Um defeito, 13% de álcool... sería melhor com 11,5 ou 12%... o corpo leve não sustentou, mesmo assim o considero uma ótima compra.
Poderá ser consumido nos próximos dois anos mas acredito que está no seu esplendor portanto não perca tempo.
Ótima opção para servirmos como welcome drink ou podemos harmonizá-lo com saladas leves porque não uma de alface americana (rasgada com as mãos), lascas de morango e palmito picado... experimente e me conte!
Forte Abraço e um Ótimo Ano!

Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!