Chateaneuf du Pape Clos des Papes Blanc 2006, Esplêndido!!!

Branco, Grenache Blanc, Roussane, Cairette, Picpoul, Picardan, Bourboulenc
País: França
Preço: R$ 369
Era domingo de Carnaval e já faz algum tempo que não me interesso pela folia... Dia para receber bons amigos em casa, dia para um bom almoço... Pela primeira vez recebía o João Filipe e a Claudete na minha casa.
Como vocês sabem o João Filipe tem um blog que é uma referência! É o Falando de Vinhos! Há algum tempo quería convidá-lo para almoçar mas só agora surgiu a oportunidade. Também quería abrir um Chateauneuf branco.. três garrafas em casa... duas do referendado Clos des Papes...
Bom o almoço começou com uma entrada de camarões temperados com limão sciciliano e um Casas del Bosque Gran Reserva Sauvignon Blanc 2008, que é marcante pelo seu equilíbrio em boca. Fresco mas com corpo médio sustentou bem o prato, principalmente pelos seus nuances herbáceos e de frutas cítricas.
Vocês que acompanham o Vivendo Vinhos sabem que eu curto uns pratos mais exóticos mas não podería me arriscar com um vinho como o Chateauneuf... Logo consultei o amigo Diego sobre uma possível harmonização e ele me sugeriu Namorado ou Tambaqui, pois são peixes de carne mais consistente que sería ideal para uma boa harmonização. Mas eu não encontrei o tal do Namorado... Me sugeriram a Gurijuba, eu aceitei e me dei bem! Se vc quiser conhecer um pouco mais sobre o pescado o João Filipe fez uma curta pesquisa...
Voltemos ao vinho! O Chateaneuf é um belíssimo vinho que realmente deve ser guardado para momentos especiais! A cor ainda era amarelo palha com leve reflexo esverdeado, muito chorão, demonstrando os 15% de álcool.
Já o nariz não demonstrava nenhum sinal do álcool, muito elegante e complexo. Com boa intensidade as notas florais tomaram conta. Alguma fruta branca estava por lá e notas minerais foram timidamente surgindo.
Na boca o ataque foi elegante. Encorpado, com grande textura na boca, mas sem perder a delicadeza e a elegância, robusto mas fino. Untuoso, mas sem aquela manteiga exagerada dos Chardonnay's do Novo Mundo. Uma explosão de sabores na boca com destaque para aquela lembrança de pêssego... Persistente, de final quase interminável! E o álcool? Integrado, amaciando o palato.
Um grande vinho! Percebe-se todo sua jovialidade ainda mas não tem como deixar de notar seu potencial de guarda. Três talvez cinco anos para descobrirmos mais dos seus encantos. Dizem os entendidos que quando esses Chateaunef's atingem oito anos os aromas remetem a flor de laranjeira...
Enfim a harmonização! Seguindo os conselhos do Diego preparei um molho de laranja para acompanhar o peixe e o vinho.  Deu certo! Fechou perfeitamente com o prato. Valeu a pena! Ao Diego... obrigado!
Forte Abraço!

2 comentários:

  1. Que maravilha meu caro!

    Bom vinho, boa harmonização e boas companhias, não tem como dar errado.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Gde Ramon,

    Verdade! Desse jeito não tem erro!

    Cristiano

    ResponderExcluir

Algum comentário? Fique a vontade!

Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!