Degustação: Consorcio de Produtores Baden-Wurttenberg

Mais uma vez 05 bravos blogueiros se reuniram para uma degustação. Dessa vez organizada pelos amigos Jeriel da Costa e Beto Duarte que contaram com o apoio do Empório & Bistrô Vila Buarque. Os outros blogueiros eram o Daniel e o gde João Filipe Clemente.
Administrado por uma "figuraça" conhecida por Marcelo di Morais, você já pode ter ouvido falar dele... Bom o atencioso Marcelo nos proporcionou uma bela mesa com queijos, pães e patês, ótima massa para fechar o jantar e ainda serviço descontraído e ágil.
O mais legal porém sería a degustação que manteve aquele clima de amizade e mais informal dos nossos encontros. O vinho é o centro das atenções e não uma chatice técnica...
Com o apoio do Consorcio de Produtores Baden-Wurttenberg degustamos 05 vinhos alemães, que no meu caso pessoal me faz lembrar da minha infância e do meu querido pai que sempres tinha suas garrafas de brancos alemães a mesa, e não eram de garrafa azul...
O primeiro da noite foi o Dyade 52 Premium Range Pinot Grigio 2008 que infelizmente estava digamos estranhamente evoluído para tal cepa e safra. Uma pena pois o Jeriel já havía provado e nos garantiu que é um bom vinho. Não pudemos saboreá-lo como gostaríamos.
Seguimos então para o Dyade 52 Winemaker’s Edition Riesling 2008, um vinho interessante com uma nariz frutado e intenso e boca prazerosa mas ligeira. Pode ser o vinho de entrada de um jantar com os amigos ainda mais se for para acompanhar aquela salada de folhas...
O terceiro vinho da noite foi o mais típico, o Dyade 52 Connoisseur’s Choice Riesling 2008 apresentou aquele nariz complexo e intenso com nota mineral dominante e ainda os nuances florais e das características frutas cítricas. A boca confirmou com um ataque marcado pela acidez e final persistente. Ótima escolha para acompanhar pratos a base de camarão... Vinhaço!
O quarto vinho era um Pinot Noir, os Pinot's alemães tem crescido no mundo e eu já estava curioso! O Dyade 52 Premium Range Pinot Noir 2008 apresentou um típico nariz de Borgonha, com notas secundárias e terciárias, como estrebaria e terrosos além da fruta vermelha característica. De persistência aromática impressionante ficou um pouco aquém na boca. Apesar de bom equilíbrio e madeira bem integrada ao conjunto mostrou um final fugaz...
Fechamos com um Dyade 52 Connoisseur’s Choice Lemberger 2007, Lelberger é o nome desta cepa autoctone alemã, um vinho diferente que vale ser provado para sairmos do quadrado. Nariz de boa intensidade com toque herbáceo, mentolado... Na boca os taninos eram sedosos e o vinho saboroso.
Ainda tivemos dois franceses gentilmente cedidos pelos Marcelo para brindarmos a noite. Mas eles ficam para outro post...
Forte Abraço!

Um comentário:

  1. muito bom esse vinho, bom corpo, taninos presentes aroma de cereja, com toque de especiarias, no entanto é um vinho dificil de encontrar, no mercado, eu encontrei algumas garrafas no macro Campinas, e uma garrafa em Rio Claro barraca mineira. gosto desse vinho desde que degustei pela primeira vez,estou sugerindo aos vendedores pra que não deixe faltar esse maravilhoso vinho, um abraço, a Paz.

    ResponderExcluir

Algum comentário? Fique a vontade!

Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!