Opinião Vivendo Vinhos: Brancos e Oprimidos


A segunda coluna do Vivendo Vinhos vem tratar do consumo do vinho branco. É notório para qualquer pessoa atenta que os tintos são a preferência mundial. Qualquer pesquisa rápida na Internet mostrará a diferença da quantidade produzida entre brancos e tintos. Apesar de ser um defensor e amante dos vinhos brancos e seus prazeres não tenho o objetivo de alterar o consumo do amigo ou amiga que lê esta coluna, apenas de abrir mais uma porta.
No mundo existem pesquisas que indicam crescimento do consumo do vinho até 2030, em que pese em 2008 o consumo ter caído. Os espumantes vão puxar a fila segundo as tendências, os rosados terão o seu espaço, mas os brancos devem ficar estacionados, uma pena!
Eu gostaría de entender a razão disso, mas... não sei! As vezes penso que está diretamente ligado ao fato dos vinhos tintos terem propriedades benéficas a saúde. Não é do conhecimento geral mas os vinhos brancos também trazem benefícios a saúde como melhoría da função pulmonar, são ricos em cálcio, magnésio e potássio e também são desintoxicantes e diuréticos, por fim normalmente os brancos são menos calóricos que os tintos.
Os vinhos brancos podem proporcionar muitos prazeres a mesa, seja através de suas próprias características como a leveza ou harmonizações magistrais tais como salmão ao molho de queijo versus chardonnay ou queijo de cabra versus sauvignon blanc. Tente também harmonizações inusitadas como salada de rúcula e temperada com azeite, pouco shoyu e sumo de laranja com um bom Torrontés argentino.
Também entendo que os brancos são o componente mais essencial de um jantar. Algumas vezes eles são o welcome drink outras vezes acompanham as entradas ou saladas, nesse momento digamos que os convidados ainda não estão embalados pelo álcool e portanto estão mais atentos ao que estão bebendo. Isso sempre me estimula a servir um bom branco por isso os experimento cada vez mais...
Dê uma oportunidade a um vinho branco! O Chardonnay demonstrará sua estrutura e volúpia, para a Viognier te encantar com sua elegância, para um Riesling te surpreender com aquele toque de mineralidade, para um Sauvigno Blanc te refrescar enfim dê uma chance para que as flores do Gewurztraminer se tornarem um jardim.
Por isso sugiro que não sejamos mais opressores dos vinhos brancos. Este espaço está aberto para você contribuir com sua opinião também. Quem sabe você conseguem em ajudar a entender porque bebemos muito menos vinho branco...
Forte Abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Algum comentário? Fique a vontade!

Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!