Eu Blogo! Falo e Aprendo sobre Vinhos... Faço Amigos e me Divirto!

Você que chegou até aqui já leu 04 blogger's que comentaram sobre o ato de blogar... Chegou a minha vez de contribuir e fiquei pensando nos motivos que me levaram a blogar e porque estou aqui ainda.
Bom... comecei a blogar porque quería dividir minhas opiniões sobre vinho, escrever o que eu pensava e também receber opiniões sobre os vinhos que bebía, afinal o campo 'Comentários' está sempre lá... esperando o comentário do amigo. É aí que a coisa começa ganhar um tamanho incrível!!! Porque o ser humano é incrível... as pessoas que comentam meus posts podem ser passageiras porém muitas vieram para ficar. Comentam sobre os vinhos mas sempre abrem espaço para o início de uma amizade. Como diría Daniel Perches: "Fantástico!"
Então de pretenso 'crítico' de vinho passei a ser amigo de muitos enófilos apaixonados como eu, que estão aqui nesse mundo escrevendo por paixão, sem nenhum tipo de compromisso a não ser o que esses sujeitos tem com eles mesmos.
Aí não é que surge mais uma coincidência incrível!!! Todos eles cansados do viés elitizado que o vinho tem no Brasil, todos sempre lembrando o fim social do vinho que é celebrar, comemorar todas as vitórias e não só descobrir a melhor harmonização possível...
É lógico que todos nós conhecemos sobre o que estamos falando, cores, aromas ou sabores, mas para todos nós as características do vinho são um componente que quando somado ao todo faz a real diferença! Tudo junto traz prazer e diversão. Nada mais prazeroso que a alegria de um sorriso, não?
Agora... se você ainda não teve a oportunidade de ler o que o Paulo, Peter, João Filipe ou Alexandre escreveram, não perca tempo pois temos muito para celebrar ainda...
Ah! E o André do Enodeco ainda tem muito para contar...
Forte Abraço!

Casa Valduga Cabernet Franc 2006 #cbe

Tinto, Cabernet Franc
Brasil
Casa Valduga
Preço: R$ 32
Eu sei... atrasado mais uma vez... Mas aqui está miha escolha de Cabernet Franc nacional. O tema foi escolhido pelo confrade Jurandir do Blog Eu e o Vinho.
Bom... Eu gosto dos vinhos da Valduga mas esse aqui não me empolgou. Vamos a ele? Na taça apresentou coloração rubí violácea e lágrimas em abundância.
Os aromas estavam muito discretos, essa é a segunda vez que bebo este vinho nesta safra e essa característica, baixa intensidade aromática se mantém, não é o fim do mundo mas me desaponta. Enfim aromas de frutos vermelhos maduros, especiarias e evolução para chocolate.
Na boca o ataque foi gentil, taninos maduros, acidez correta, corpo médio, boa fruta no retrogosto e nenhum sinal de amargor. Mostrou equilíbrio mas não impressionou. Persistência gustativa razoável.
Casou bem com o Penne ao Sugo e as Porpetas que preparamos. É isso, um vinho bom, fica melhor se for desfrutado casualamente... sem grandes compromissos ou expectativas...
Forte Abraço!

Abre Aspas: Pai sempre é Pai...

Hoje o Abre Aspas não podería ser diferente, deve fazer uma menção aos Pais... e não ao vinho. Bom... eu preferí colocar aqui um dos ensinamentos que meu pai me deu do que procurar uma frase bonita, lógico que essas tem seu valor também. Mas, independente de onde chegarmos, sempre seremos reflexo do que nos foi ensinado.
"Filho só faça algo, só tome decisões com as quais você tem certeza que pode arcar com as consequências."
Forte Abraço!

Nederburg Noble Late Harvest 2007

 
Sobremesa, Chenin Blanc, Riesling, Moscatel
País: África do Sul
Nederburg
Preço: R$51
Era sexta-feira e depois de uma "novela" iría rolar o prometido filet a parmegianna do Emerson, autor do blog Toomate e um bom amigo. Eu me sentía insaciável para aquela noite... sabía que o amigo nos esperava com um espumante e levava comigo o excelente Chianti Riserva 2005 da Cantina Da Vinci, assunto para outro post...
Este late harvest estava há quase 02 anos na minha adega... e cada dia que passava eu ficava um pouco mais curioso em relação ao caldo, afinal a base dele é Chenin Blanc (70%)... no último momento peguei ele e levei... ninguém tinha sequer falado em vinho de sobremesa... Sería apenas o segundo vinho de sobremesa de origem sulafricana que experimentaría...
Após um pequeno atraso, chegamos! Os amigos, os sorrisos e os abraços... todos distribuídos prazerosamente... uma bela noite nos esperava... Espumante aberto, descontração e um jantar que começou com pão italiano e uma pasta de berinjela, obra da Vanessa que ainda nos ofereceu umas fatias de tomate e queijo com farinha de pão, olha não sei explicar, não sei se tem nome, só sei escrever que era bom... e ainda tinha um pesto de pistache e manjericão para acompanhar... brincadeira!!!
Enfim chegou o prometido: Filet a Parmegianna com Chianti, acabou o Chianti fomos para um Esporão Reserva 2006, belíssimo vinho que o Alexandre nos ofereceu. Ah! O meu filet foi duplo devidamente acompanhado de Taglarini feito pelo dono da casa, é... ele fez a massa... outro nível.
Já estávamos esbaldados e com nosso late harvest pronto para ser abatido. Na taça apresentou cor âmbar clara ainda com reflexos dourados, poucas lágrimas na taça, só 11% de álcool. Os aromas remeteram a mel, própolis, damasco e frutas secas.
Este néctar encheu a boca com um volume de sabor marcante. Escorregava rápido, doce, bem doce. Sabores suaves, lembrança cítrica misturada ao mel. Excelente acidez para sustentar a doçura. Belo vinho e em ótimo momento de consumo. Talvez pudesse ter um pouco mais de álcool mas é questão de gosto... e cada um tem o seu.
Enfim eu estava saciado...
Forte Abraço!

Almoço de Domingo: Ossobuco com Polenta e um Rosso di Montalcino


Era domingo e pouco passava das 07:00hs quando me levantei, minha esposa ainda dormía. Sonolento, caminhei até a cozinha e lá estavam os ossobucos que eu tinha comprado no dia anterior.Comí um pedaço de torrada com manteiga e comecei a picar os vegetais.
Quando fazemos um prato como esse não devemos ter pressa, afinal são horas e horas que a carne fica cozinhando... Para você ter idéia meu ossobuco foi ficar pronto por volta das 11hs, só aí comecei a polenta...
Uma comida tão tradicional e que leva tanto tempo para ser preparada deve ter companhia de um belo vinho, escolhí o Rosso di Montalcino Casanova di Neri 2006. Novo, demonstrou cor rubí violácea, aromas intensos de frutas do bosque, evoluindo para secas, além de herbáceos, especiarias, chocolate e café. Estruturado este vinho "encheu" a boca, conjunto bem equilibrado com grande volume de taninos e acidez excepcional. Porém, para a harmonização em sí, os taninos ainda estavam um pouco fortes e não conseguí o resultado que desejava mas nem por isso foi ruim. Um belo vinho e uma bela comida, só o tempo consegue explicar...

Ah! Dei um toque luso no meu prato... finalizei a polenta com lascas de azeitona preta... quando misturamos com o molho... outra experiência! A receita está no blog da Vanessa, só fiz uma alteração... manjericão por tomilho, gosto... nada mais do que gosto...
Forte abraço!

Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!