Encontro 1 2003

 
Nesse Natal eu tive a oportunidade de experimentar um dos grandes vinhos da Bairrada, o Encontro 1! Portugal é uma terra maravilhosa que tem diversos estilos de vinhos, entre os menos famosos estão os da Bairrada, afinal estamos sempre falando do Douro e do Alentejo, de vez em quando do Dão e do Minho (Vinhos Verdes). 
Pois é... mas tem a Bairrada também... onde reina a uva Baga... o nosso vinho de hoje é um corte desta uva de caráter mais rústico e da geniosa Touriga Nacional... Faz um vinho que busca a elegância aliada a potência natural das uvas. 
Na taça apresentou cor rubi sem reflexos. Aromas de frutos vermelhos e negros maduros, nuances herbáceos, terrosos e de couro, evoluindo para um fino chocolate. Na boca a força ainda está lá, com um belo corpo, boa acidez e um grande volume tânico maduro. O retrogosto confirmou as frutas. A persistência ficou devendo... 
Apesar do vinho estar equilibrado e correto achei que não tem grandes diferenciai para justificar seu alto preço, uma pena... 
Minha expectativa era maior mas nem por isso foi ruim, pelo contrário foi uma ótima companhia para um Natal em família repleto de sorrisos e alegria!
Forte Abraço!

Casas Del Bosque Gran Reserva Chardonnay 2006

Nós abrimos os trabalhos natalinos do dia 25 com um vinho há muito guardado na adega do meu pai... Um Chardonnay de caráter... Um Casas del Bosque Gran Reserva Chardonnay 2006! 
Sentamos na varanda, por volta das 11hs da manhã e abrimos o desejado... taça na mão, sorriso no rosto, clima ameno, enfim tudo perfeito! 
Na taça apresentou cor palha com reflexo esverdeado, as lágrimas eram lentas e grossas, denotando o álcool... Os aromas remetiam a nuances de ervas, manteiga e madeira. As frutas estavam muito discretas... 
A boca confirmou o álcool no primeiro instante e depois as ervas. Bom corpo, boa acidez e boa persistência. Só o desequilíbrio inicial de álcool que incomodou um pouco, mas foi passageiro.
Um belo Chardonnay, ao melhor estilo novo-mundista, para muitos o melhor estilo. Eu em particular prefiro mais frutado, mas não posso negar que este é um bom vinho! 
Forte Abraço!

Scharzhof 2009

 
Noite dessas começando as comemorações de Natal com bons amigos experimentei este interessante vinho do Mosel - Alemanha. Eu sou fã de vinhos brancos, de Riesling e especialmente dos riesling's alemães! 
E esses vinhos do Egon Müller Schrazhof são um espetáculo! Esse aqui é o de entrada da vinícola, teor alcóolico baixo e muitos aromas e sabores! É um excelente opção para harmonizar com saladas acompanhadas de frutas cítricas, peixes leves e alguns frutos do mar. 
Tem cor amarelo palha com reflexo esverdeado e poucas lágrimas. Os aromas remetem a frutas como maçã verde, pêssego e nuances minerais. Na boca é redondo e saboroso, com boa persistência e boa acidez. O retrogosto confirma as frutas. 
Um belo vinho! 
Forte Abraço!

Adolfo Lona Orus Rosé Pas Dosé #cbe

 
Quer beber um grande espumante no Reveillon??? Olha aqui a sua opção... Bate muita champagne... aliás este vinho está faixa dos R$ 90... bem mais barato que champagne... hehehe 
Um vinho delicado, encantador, sutil, memorável... para beber nos grandes momentos com os grandes amigos... E foi num dia desses, numa dessas tardes com um bom amigo que pude experimentar essa maravilha! 
Um inusitado corte de Chardonnay, Pinot Noir e Merlot que tem muita complexidade, tanto nos aromas como nos sabores, foram feitas apenas 608 garrafas... se você achar um, não vacile!  
Abaixo você confere a foto do Edizione, que postei na segunda, do Orus e de um vinho de sobremesa, mas desse eu falo outro dia...
Forte Abraço!

10 vinhos para o Natal!!!

Final de ano sempre é momento para as listas de melhores vinhos do ano, etc e tal... Esse ano eu decidi fazer diferente! Decidí montar uma lista com 10 dicas de vinhos para o Natal e outra para o Reveillon, que sai na próxima semana... aguardem! 
Sem mais delongas, vamos a lista! Você escolhe 02 ou 03 desses vinhos e faz a festa!!! Clicando no nome de qualquer um deles você pode conferir mais detalhes, ok?
Priorizei vinhos com preço até R$ 50, pensando numa festa grande e na relação custo-benefício... Comecei com 04 brancos para você desfrutar enquanto a família chega, com os aperitivos, etc & tal... 
01 - Miolo Reserva Pinot Grigio, bela opção de vinho nacional que acompanhará bem os aperitivos e até mesmo alguns pratos natalinos. 
02 - Casa Valduga Preimum Gewurztraminer, uma das opções mais seguras do mercado, safra após safra vem demonstrando consistência, para ser apreciado jovem, encantará a todos! 
03 - Alta Vista Premium Torrontés, um vinho que surpreende, aliando os nuances delicados e característicos da uva com uma boa presença em boca. Pode ser um excelente para para saladas que levam frutas cítricas como acompanhamento. 
04 - Carmen Classic Chardonnay, eu gosto dos Chard's mais frutados, deixam o vinho mais versátil, fazendo com que ele possa ir do Welcome Drink ao peru de Natal... Sem contar que se você é de uma família como a minha e curte um churrasco no almoço do dia 25, este aqui pode abrir os trabalhos tranquilamente... 
Vamos continuar com os tintos... Aqui minha preferência é pelos vinhos de corpo médio e de boa acidez, pensando inclusive na harmonização, mas como tem muita gente que gosta de tinto encorpado... tem também! 
05 - Fox Brook Shiraz, a turma gosta da Shiraz ou Syrah... é sempre um vinho prazeroso e versátil, vai bem com uma infinidade de pratos... esse aqui é uma boa pedida! 
06 - Vega Sauco Piedras Crianza, tempranillo pode ser uma excelente opção para sua ceia, tem uma boa chance de agradar a todos e ainda harmoniza com um porco assado ou coisa do tipo... Esse aqui é um vinho best buy, todo blogger que conheço fala bem dele... 
07 - Mayorazgo Joven, eu adoro esse tempranillo, um vinho prazeroso que combina com muitos pratos e situações... para se beber com os amigos e familiares, sempre celebrando! 
08 - Miolo Cuvée Guiuseppe, outro vinho que adoro, aqui em casa sempre acaba, uma opção tupiniquim com um pouco mais de corpo e esquecendo a harmonização, uma opção para curtir o vinho e a festa! 
09 - Norton Malbec DOC, como eu disse, na minha família é tradição fazermos um churrasco no almoço do dia 25, então nada mais apropriado que um Malbec! Mas se você quiser beber com a ceia, vá em frente! Não vai se arrepender! 
10 - Montes Selección Limitada Cabernet/Carmenère, tem ano que o churrasco lá em casa fica mais sério... tem cara que levanta as seis da matina para por a costela no fogo... aí é bom ter uma opção chilena também, vai que o cara utiliza umas ervas no tempero como o meu Tio... 
Espero que os amigos tenham um Natal repleto de luz, amor, amizade e saúde! 
Forte Abraço!

Edizione n° 07 Cinque Autoctone


Se tem um vinho italiano que me agrada é esse Edizione, já provei 04 safras e todas foram espetaculares... E tem gente que ousa dizer que os vinhos do Sul da Itália são sofríveis... 
Esse vinho, em particular, vem evoluindo de forma espetacular, bebo um por ano e ele só vem melhorando, posso dizer que se você tem um em casa pode guardar mais uns 03 anos que você e o vinho só vão ganhar com isso! 
A degustação desse vinho é uma explosão de sensações! Já é rubi translúcido, sem reflexos e muito chorão! Aromas de frutas passadas, terrosos, couro, tabaco, defumado chocolate entre outros... 
Na boca uma bela estrutura com grande equilíbrio, excelente acidez, como todo bom vinho italiano, mas também grande volume tânico maduro. Sem sinais de amargor ou álcool aparente. 
Deve acompanhar pratos de grande volume de sabor, como carnes de caça ou carnes vermelhas com molhos ricos... 
Forte Abraço!

Degustando o Sul da França!!!


 
Domingo que passou, quando acordei, pensei: “hoje vai ser um dia francês!” Mais precisamente um dia do Sul da França!!! 
Logo pela manhã experimentei uma iguaria que é de lá, a geléia de castanha, cremosa, saborosa, faz com que seu dia comece mais feliz!!! Me fez imaginar como seria passear por aquele belo lugar, que mistura pequenos e belos vilarejos com cidades médias e grandes, que tem até um toque de modernismo. A mistura da fresca brisa do Mediterrâneo com a magia da vinicultura francesa. 
Estava chegando o horário do almoço, pensei num dos pratos mais tradicionais da culinária do Sul da França, o cassoulet, original da região de Limousin, é preparado basicamente com feijão branco e carnes, que podem ser as mais variadas, como confit de ganso, confit de pato, lingüiças, salsichas, carne de porco e até mesmo perdiz ou cordeiro.
Chama-se cassoulet porque é cozido por horas em fogo brando numa caçarola. Bom... eu não tinha a cassoulet, mas tinha um Pic Saint Loup!!! Tradicional vinho do Languedoc e ótima opção para harmonizar com cassoulet, o meu era o Bergerie L’Hortus 2009, um vinho com muita fruta e elegância ao melhor estilo francês... Este Pic Saint Loup é importado pela de la Croix, e sai por R$ 79, sua base é feita de Syrah, Greenache e Mourvèdre. 
Enquanto bebia, passeava pela pequenas propriedades, conhecendo tradição francesa de produção do vinho, o esmero do produtor no cuidado da vinha, os métodos mais clássicos e ao mesmo tempo os mais modernos. Passear por aquelas terras cheias de magia! Incrível é que eu tenho certeza que um passeio desses não traz cansaço nenhum, só traz alegria e felicidade... 
Fotos: The Connexion 
A tarde se desenrolava preguiçosa e uma pausa para um doce a tornou ainda mais descontraída... era a vez de experimentar as Rousquilles Fondantes, com o perdão da expressão, essa rosquinha é extremamente macia e suave, com um leve toque cítrico que lembra um limão maduro. Doce na medida certa, daquela forma que desenha um sorriso no rosto e que fazem as mulheres suspirar... 
Já chegava o jantar...e eu a imaginar uma refeição em algum deck à beira mar, à beira do Mediterrâneo! Abri outra iguaria, o tradicional tapenade, patê de alcaparras, azeitonas e anchovas, forte e equilibrado na medida certa, suavemente salgado para que eu pudesse me sentir mais perto do mar... junto com ele abri um bom Fumée Blanc, o François Lurton 2010 (R$ 55 na Zahil), fresco como a brisa e com um toque herbáceo marcante, nuances de frutas cítricas complementavam nos aromas e sabores... Harmonizou perfeitamente com um peixe assado que fiz por aqui, recheado com ervas... Só para lembrar o Fumée Blanc é produzido a partir da maravilhosa Sauvignon Blanc, em se tratando de uvas brancas a minha preferida... 
Já foi para o Sul da França? Tem alguma história para contar sobre essa viagem? Sobre um Vinho que conheceu por lá? Os comentários são todos seus... 
Forte Abraço!

Aprendiz de Enólogo...

Muitos dos amigos já devem saber do concurso que a Dominio del Plata, a Cantu e o Winebar estão realizando. Uma competição saudável entre cerca de 30 bloggers brasileiros que receberam 05 vinhos para elaborar 01 corte, 01 vinho, o primeiro vinho de cada um desses felizardos e amigos! 
E tem mais... o vinho campeão será produzido e lançado na próxima Expovinis. Ah! O blogger campeão vai receber 05 caixas de sua criação ainda... para comemorar com os amigos. 
Bom... demorei um pouco para elaborar o meu corte, um pouco por nem saber como começar, outro tanto por achar que iria conseguir alguma dica... mas a verdade é que depois que comecei, viví uma experiência única e memorável. Agradeço aos organizadores essa oportunidade. 
Enfim... para falar um pouco da experiência como enólogo, tive que unir 05 varietais em um vinho só, um corte... e como é difícil chegar a este corte... cada vez respeito mais o trabalho dos enólogos. 
Mas apesar de ser difícil é muito satisfatório, muito prazeroso. Experimentar, testar, provar, encontrar as qualidades, recomeçar e buscar o melhor vinho. Buscar a melhor combinação das qualidades de cada varietal para obter algo que realmente seja marcante. 
E por fim duas coisa, a primeira é o vinho, uma criação, a sua criação! E a segunda certeza... certeza que o enólogo é um aficcionado pela perfeição!!! 
Forte Abraço!

Abad Don Bueno Godello Joven 2010

Esse feriado ainda nos reserva uma boa surpresa, um vinho de Bierzo, região espanhola não muito conhecida por nós, mas que tem alguns vinhos de boa qualidade, como este aqui. Aliás experimentei esse vinho aqui por indicação dos amigos Tiago e Gabriel da Rossobianco aqui em Jundiaí. 
Este varietal denota seu frescor de forma agradável e persistente, convidando ao próximo gole, a verdade é que não sobrou uma gota na garrafa. 
Na taça é de um amarelo entre o palha e o ouro, límpido e brilhante. Os aromas remeteram a frutas brancas e tropicais, as segundas mais discretas mas com uma nota de maçã verde madura bem interessante, marcado ainda por delicados nuances florais. 
Na boca um conjunto de perfeito equilíbrio! Médio corpo, boa acidez, final frutado e boa persistência. Sem sinais de álcool ou amargor. Foi servido no jantar e harmonizou muito bem com um risoto de brócolis, deixando minha boca feliz! Uma boa experiência. 
Forte abraço!

Gnocchi de Mandioquinha & Special Blend 2004

Era sábado... dia de festa com bons e velhos amigos, aqueles amigos de décadas... amigos que já viveram tantas coisas com você que as lembranças se misturam... Dia de fazer algo especial... 
Então fomos para a cozinha, eu e minha esposa para fazermos a receita de Gnocchi de Mandioqunha da Tia Maria. E foi um sucesso!!! Fizemos toda a massa, cozinhamos 1,5kg de mandioquinha, amassamos, misturamos 02 ovos, meia colher de maizena, de fermento e farinha... amassamos novamente, até dar o ponto. Aí foi só enrolar e cortar... as fotos de todas essas etapas estão no Facebook, é só curtir! Mas vou deixar uma foto por aqui, como um aperitivo... 

Vamos falar um pouco deste vinho de 07 anos de idade que está atingindo sua maturidade.  Oriundo da fria Patagônia argentina, o Bodegas de Del Fin del Mundo Special Blend foi decantado por cerca de uma hora. Na taça apresentou cor rubi intensa e brilhante. Os aromas são muito intensos, denotando frutas secas, terrosos, notas de couro, baunilha e especiarias, cravo e pimenta em destaque. Na boca potência com bom equilíbrio entre acidez, álcool, corpo e os taninos já maduros. O retrogosto confirmou as especiarias, porém a persistência é mediana, uma pena para um vinho tão envolvente no palato. 
Em termos de harmonização com o prato posso dizer que não houve harmonização, até porque esse vinho foi escolhido para harmonizar com os amigos, como me ensinou o Alcir, um bom amigo do blogger Paulo Queiroz do Nosso Vinho, portanto retifico o que disse, a harmonização foi um sucesso, pois a alegria estava a mesa! 
Forte Abraço!

Familia Gascón Malbec Rosé 2010

O fim de semana passou sossegado... com o calor chegando... tempo para rosés! Quem me conhece sabe que eu gosto demais de vinhos rosés. Para mim eles não são inferiores como muitos pensam... São ótimas opções e muito gastronômicos. 
Domingo foi dia de salmão assado, purê de mandioquinha e família. Bom demais estar entre a família curtindo os detalhes, as coisas pequenas da vida... Então um vinho com o nome Família já é uma bela harmonização, não é? 
Na taça um vinho de cor vermelho clara intensa, com aromas intensos de frutos vermelhos frescos, como morango e cereja. Na boca acidez plena, corpo médio e razoável persistência. Retrogosto frutado com suave dulçor.
Este rosé caiu bem com o prato, a doçura casou com o purê, a acidez com o salmão etc e tal. E a tarde passou ainda mais sossegada... 
Forte Abraço!

Salmão, Purê de Inhame & Miolo Reserva Chardonnay 2009


Dia desses eu e a Val decidimos fazer salmão no almoço. Já fazia um tempo que nós recebíamos a visita deste famoso peixe. Sempre assamos ele no forno e refogamos um pouco de cogumelos na manteiga e alcaparras... nada mal... hehehe! 
Já tem um tempo também que eu quero fazer purê de inhame... eu sempre fui um curioso, e já experimentei inhame assado, com carnes, sopa, etc, mas purê não. Chegou o momento! O inhame tem um sabor muito suave e é macio, achei que poderia fazer um bom par ao salmão. 
Dito e feito! Pouco mais de 01 hora depois e o prato estava pronto! Os sabores se completaram e tivemos um excelente almoço! Valeu a experiência do purê que com certeza vai aparecer mais vezes aqui em casa... e para acompanhar abri meia garrafa de Miolo Reserva Chardonnay 2009. 
O vinho tem cor amarelo palha com suave reflexo esverdeado. Aromas de frutos cítricos maduros porém discretos. Na boca é harmônico, bom equilíbrio entre corpo e acidez, leve dulçor, porém fugaz. Com o prato não apareceu mas também não atrapalhou. Acho que mais madeira iria melhorar a harmonização... quem sabe na próxima! 
Forte Abraço!

Miolo Reserva Pinot Grigio 2010 & Desafio Carbonara

 
Durante a última semana pedí aos amigos do facebook uma sugestão de vinho para acompanhar um Penne a Carbonara... virou uma discussão com quase 100 comentários, onde participaram muitos bloggers e sommeliers. Enfim ficou definido que nós vamos organizar um Desafio de Harmonização com Carbonara, aguardem! 
Uma das sugestões foi Pinot Grigio italiano da Campania e dois dias depois fui ao Cardeais em Vinhedo, restaurante com ambiente muito agradável. Eu não havia percebido mas eles tem um Spaghetti de Pupunha a Carbonara, pronto! Eu iria começar a experimentar as sugestões... 
Abrí a carta e não tinha Pinto Grigio italiano, mas tinha brasileiro e da Campanha Gaúcha... Muita coincidência, peguei o vinho e a sugestão de harmonização no contra-rótulo... advinha? Spaghetti a la Carbonara!!! Destino? Não sei... mas se havia alguma dúvida ela foi embora... 
É um vinho com leve reflexo esverdeado, aromático, frutas cítricas como abacaxi, flores brancas e nuances de erva doce. Na boca apresenta bom equilíbrio, marcado pela leveza e acidez. Retrogosto suavemente cítrico e de boa persistência. Achei uma excelente compra, paguei R$ 39 no restaurante e achamos nos supermercados na faixa de R$ 25 a R$ 30.
Eu achei a harmonização interessante, já que o Spaghetti era de Pupunha o prato se tornou um pouco mais leve combinando com o corpo do vinho. A acidez enfrentou bem a cremosidade do prato e achei o resultado interessante. Ficou como uma espécie de preliminar do Desafio Carbonara. Garanto que vamos tentar com a massa. 
Como fui despreparado, não tirei fotos do prato... Mas vou aproveitar uma do site Yes We Cooking... é só clicar e curtir a receita também.
Forte Abraço!
foto: Yes We Cooking

Um Almoço com os Srs Daniel Perches & Chianti Piccini Riserva

 
Era uma sexta-feira dessas, o dia passava preguiçoso quando o telefone tocou com uma fatal  pergunta: "Já almoçou?"... a resposta foi curta e grossa: "Não"... é verdade que havia um sorriso por trás da resposta... Um não... dois sorrisos... um meu e outro do Sr Daniel Perches.
Alguns minutos depois o encontro aconteceu no Roma Mia, agradável restaurante localizado em Jundiaí, depois dos cumprimentos e aquelas tradicionais brincadeiras, pedimos para abrir o nosso vinho, o que havíamos levado, mas... ele não estava bom, então convidamos o amigo Chianti para sentar a mesa. 
E não é que ele estava bem disposto? Jovial e alegre como um bom Chianti deve ser, chegou a mesa, despertou sorrisos, inebriou os amigos com seus aromas de frutos vermelhos silvestres e seu leve toque defumado... 
Salada à mesa, com fatias de presunto parma que casaram muito bem com o vinho... Mas a harmonização estava por melhorar... Eis que chega o prato principal... 
"Esse Spaghetti ao Molho de Calabresa está fantástico!", palavras do meu amigo Daniel Perches, realmente o Spaghetti estava muito bom e se notavam os aromas da Erva Doce de longe... 
Impressionante como determinadas combinações funcionam... é o que acontece com uma boa massa a base de molho pomodoro e Chianti... um clássico! 
Finalizamos com pudim de maria mole e calda de gengibre... 
Forte Abraço!

Fritz Haag 2007 e um Joelho de Porco...

Se alguém duvida que seja possível apreciar a boa comida alemã com vinhos está enganado... Eu já fiz algumas experiências e tenho certeza que os Rieslings alemães fazem bonito, aliás aquela velha regra de harmonização: comida típica de um país com vinho do mesmo país... portanto comida alemã com vinho alemão! 
Era sábado... recebia a visita de um bom amigo e dos meus queridos pais, cenário perfeito para aquele almoço regado de bons sentimentos e alegria. Um belo joelho de porco defumado no forno e uma Cava para abrir os trabalhos... 
A tarde vai passando mansa e preguiçosa e a alegria vai contagiando... do forno para a mesa, o Joelho estava lá... acompanhado de um tradicional purê de maçã. Momento para abrir nosso riesling do Mosel. 
Na taça cor amarelo palha, leve reflexo esverdeado, aromas intensos, com destaque para as frutas cítricas, boca equilibrada com predominância da acidez sobre o conjunto e suave ponta doce. 
Essa acidez encaixa perfeitamente com a gordura do porco...o suave dulçor do vinho e a lembrança cítrica casam com o purê de maçã... uma experiência!!! 
Eu se fosse você, experimentaria... 
Forte Abraço!

fotos: Diário de Baco

Pol Clément Brut

  
Dia desses estava numa pizzaria aqui em Jundiaí... pronto para aquele molho de tomate e um bom Chianti, mas não é que a Val me pede uma pizza com peito de peru, cream cheese e lâminas de maçã verde... E agora? O que fazer? 
Nessas situações optar pela segurança sempre é bom... decidí por um espumante! Mas não tinha nenhum bom nacional na carta da Pizzaria, a melhor opção era esse espumante do Vale do Loire, feito com Chenin Blanc, Sauvignon Blanc e Ugni Blanc. 
Na taça cor amarelo palha com suave reflexo dourado, perlage intenso e duradouro. Aromas de boa intensidade, denotando frutas cítricas, maçã, flores e notas de torrefação. Na boca um bom conjunto que equilibrou bem cremosidade e acidez, média persistência e retrogosto confirmando as frutas. 
Um bom espumante, vale a pena conhecer, tem preço médio de R$ 40. 
Forte Abraço!

Encontro de Vinhos Ribeirão Preto - Os Vinhos que Provei...

Bom... fora a minha participação no TOP 5 do Encontro de Vinhos, estive lá provando muitos outros vinhos, eram cerca de 30 expositores e obviamente muitas oportunidades... Separei alguns  para postar aqui, alguns vinhos que pretendo comprar e apreciar com mais tempo... 
Começamos com os espumantes, primeiro um que me surpreendeu, o Marcus James Brut, produzido pelo método Charmat, este espumante se mostrou uma boa compra, R$ 18, é fresco, franco, redondo e agradável. Achei perfeito para receber os amigos num encontro descompromissado. 
Já o segundo espumante que quero comentar é o Cave Geisse Terroir, 2008. Aqui a conversa é bem séria, além de agradável é extremamente complexo, para as grandes comemorações!!! 
Um rosé francês muito interessante esteve presente na feira também. O Saint Qvinis Rosé 2009, do produtor Domaine de Fontlade, feito com Cinsault e Greenache, é belo e típico exemplar da Provence, cheio de delicadeza com notas de frutas vermelhas frescas, muito agradável! 
Dois brancos me chamaram a atenção, primeiro um inusitado Sauvignon Blanc espanhol, o Argum Demi Sec, e aí que vem a curiosidade... primeiro por não ser tão doce assim, segundo por uma acentuada nota de goiaba branca ao nariz, realmente surpreendente. 
O segundo vinho é um francês... o L'ombre fraiche 2010, da Domaine d'Escausses, um corte de 03 cepas, tendo a Muscadelle como a principal delas, é fresco e elegante, com notas de hortelã e lima. 
Entre os muitos tintos, um porto seguro! Paço do Conde Colheita Selecionada 2007, corte de Touriga Nacional e Syrah, um vinho português muito vivo e potente. 
Já do Novo Mundo deixo como dica o Rio Bio Reserva Pinot Noir 2008, um vinho com muita fruta madura ao nariz e na boca delicadeza e frescor, um conjunto com bom equilíbrio. 
E por fim deixo uma foto com os amigos e organizadores do evento, Beto Duarte e Daniel Preches.
Forte abraço!

Encontro de Vinhos Ribeirão Preto - O meu TOP 5...


Não estou querendo contestar o resultado do TOP 5, esta lista está só para o amigo leitor conhecer as minhas preferências... Afinal quem acompanha o Vivendo Vinhos deve estar curioso... Segue a lista abaixo:
  1. EDIZIONE CINQUE AUTOCTONE, num 10, 2008, ITÁLIA
  2. CASCINADELAIDE AMABILIN BARBERA D’ALBA SUPERIORE 2007, ITÁLIA
  3. JURANÇON DOMAINE NIGRI, FRANÇA
  4. SANTA CAROLINA DRY FARMING CARIGNAN, 2008, CHILE
  5. CONSENSUS RIBATEJO, 2003, PORTUGAL
Segue abaixo a lista completa dos vinhos degustados, na ordem em que foram provados.

  1. ESPUMANTE AURORA PINOT NOIR NATURAL BRUT (BRASIL)
  2. ESPUMANTE 130 (CASA VALDUGA - BRASIL)
  3. DELICATO PINOT NOIR (VINICOLA BASSO - BRASIL)
  4. DOMINIO CASSIS MERLOT 2008 (URUGUAI – IMPORTADORA DOMINIO CASSIS)
  5. MASSAYA SILVER (LÍBANO – IMPORTADORA AU VIN)
  6. CONSENSUS RIBATEJO 2003 (PORTUGAL - IMPORTADORA CASA ARAGÃO)
  7. SANTA CAROLINA DRY FARMING CARIGNAN 2008 (CHILE – CASA FLORA)
  8. GRADUM EL PASO DE LAS ERAS CARMÉNÈRE 2008 (ARGENTINA – LA CRISTIANINI)
  9. LIDIO CARRARO QUORUM 2005 (BRASIL)
  10. ALMAD’OR 2010 CABERNET SAUVIGNON (ESPANHA – CHAVES OLIVEIRA)
  11. CASCINADELAIDE AMABILIN 2007 BARBERA D’ALBA SUPERIORE (IT-ABFLUG)
  12. ROSSO DI MONTALCINO CANALICCHIO DI SOPRA 2008 (ITÁLIA - MERCOVINO)
  13. PASANAU 2005 FINCA LA PLANETA (PRIORAT - PORTO MEDITERRANEO)
  14. ALTOS SELECCIÓN DEFAMILIA 2003 (RIOJA – CALIX)
  15. EDIZIONE CINQUE AUTOCTONI FARNESE 2008 (ITALIA -WORLD WINE)
  16. CHATLÉN 2008 MALBEC (ARGENTINA - EXPAND)
  17. TATACHILLA 2006 CABERNET SAUVIGNON/SYRAH (AUSTRÁLIA - KMM)
  18. CINCO TIERRAS RESERVA DE FAMILIA 2008 (ARGENTINA – MS IMPORT)
  19. JURANÇON DOMAINE NIGRI (FRANÇA – CAVE JADO)
Forte Abraço! 

TOP 5 - Encontro de Vinhos Ribeirão Preto

Participei da banca que elegeu o Top 5 do Encontro de vinhos em Ribeirão Preto ontem. O nível foi muito bom e por consequência a disputa foi apertada, realmente os expositores enviaram excelentes vinhos para a avaliação, segue a lista!
foto: http://www.confraria2panas.org/

Encontro de Vinhos Ribeirão Preto

 
Amigos de Ribeirão Preto e região: amanhã é dia de Encontro de Vinhos!!! 
Serão 30 expositores com mais de 150 vinhos diferentes para conhecer e provar. 
Pela primeira vez poderei participar da banca que elegerá os cinco melhores vinhos da feira, também conhecido como TOP 5. 
Local: Hotel JP – www.hoteljp.com.br 
Dia 08 de outubro – das 14h as 22h

Ingressos R$ 60,00

El Milagro Syrah 2007

 
Mais um Syrah chileno aqui no blog e dsta vez um de grande intensidade e qualidade! Oriundo do Valle de Curicó, surpreende por sua elevada complexidade. Talvez o segredo esteja num estágio em madeira relativamente curto... 05 meses em barricas novas francesas. 
De cor rubí profunda, quase negra... reflexo violáceo. Aromas que trazem as frutas vermelhas e negras maduras, mas também a pimenta, chocolate, cacau e resinados. Os aromas são de uma intensidade ímpar que poderíamos dizer que o vinho é perfumado. 
Na boca aquela conhecida estrutura da chilena... grande corpo, excelente acidez, sem sinais de amargor. taninos volumosos e maduros e retrogosto perene confirmando as frutas, suave dulçor. 
Um vinho para acompanhar boa comida, que tal com uma costelinha de porco e molho barbecue? 
Forte Abraço!

Marcus James Sauvignon Blanc 2011 #cbe

 
O tema deste mês na Confraria Brasileira de Enoblogs foi "um vinho branco brasileiro de até R$ 80". Achei bem bacana a indicaçào do amigo Marceli di Morais. Na hora em que soube do tema, decidí que iría comprar um vinho no supermercado e conferir a qualidade dos brancos mais baratos a nossa disposição. 
Sem muitas expectativas fui a dois ou três supermercados dar uma olhada, o que mais encontrei foi o Almadén Riesling, mas esse eu já comentei recentemente... Nos hipermercados esperava mais opções, mas... só tem tinto na prateleira!!! Que consumimos mais vinho tinto é de conhecimento geral, mas confesso que a diferença na quantidade de rótulos oferecidos chamou minha atenção... apesar de não ser nada surpreendente. 
Bom, vamos falar do vinho? Claro... Amarelo palha, com suave reflexo esverdeado. Delicado ao nariz com discretas notas florais, limão e abacaxi maduro dominando, inesperados nuances de fermentação surgiram. Moderada intensidade e razoável persistência aromática. 
Na boca a delicadeza sobressai com leve corpo e moderada acidez. Fugaz, este vinho deixa a boca com suave retrogosto de frutas tropicais, porém o final de boca é atrapalhado por um persistente amargor... deixando o vinho um tanto enjoativo. 
Acho que pode acompanhar saladas leves e deve ser servido para um grupo, beber uma garrafa sozinho ou em duas pessoas pode ser tornar um desafio, deixando o prazer de lado... uma pena! Fica entre R$ 15 e R$ 18. 
Forte Abraço!

Terranoble Reserva Pinot Noir 2009

Um belo pinot novomundista! Marcado por corpo e madeira beira aquele vinho didático, mas tem muito mais... tem complexidade e intensidade! Um pouco fora da expectativa que temos de um Pinot Noir, mas nada desagradável como outros que encontramos por aí...
Oriundo do renomado Valle de Casablanca surpreendeu pela sua potência aromática, com muitas notas de madeira, como caramelo, defumados e tostagem. E vejam que o estágio em madeira foi de apenas 06 meses... 
Na cor um pouco mais escuro que o normal da Pinot Noir, um rubí intenso, Lágrimas abundantes. Na boca, presença! Corpo médio em sintonia com boa acidez e retrogosto confirmando o caramelo. Taninos maduros e marcantes. 
Acho que faría um belo par com aves um pouco mais condimentadas. Sai por R$ 69.
Forte Abraço!

Chocalán Malvilla Sauvignon Blanc 2009

Ontem foi noite de degustação na Vino & Sapore, loja do amigo João Felipe Clemente, onde sempre provo bons vinhos. Mas ontem era minha vez de falar um pouco sobre os vinhos e vales chilenos. 
E quando falamos de Chile temos de falar da Sauvignon Blanc... pra mim a principal uva branca chilena. E o nosso vinho de ontem foi um show! Oriundo do Valle de San Antonio demonstrou todo o potencial desta uva em território andino. 
Um vinho marcante, de cor amarelo palha com suave reflexo dourado e paleta aromática complexa, intensa e perene! Apresentando aromas de frutas cítricas e minerais, o destaque foi um maracujá fresco inesquecível. 
Na boca um surpreendente equilíbrio, com acidez elevada, corpo médio e sabor intenso, destaque para a mineralidade. Retrogosto perene e marcante. 
Uma bela compra por R$ 65, e um vinho para ser apreciado! 
Forte Abraço!

Tabalí Reserva Sauvignon Blanc 2009

Nova safra deste sauvignon blanc da Viña Tabalí aqui no Blog. Já comentei o Tabalí 2007. Esse produtor vem crescendo muito e recebendo muitos prêmios, merecidamente. 
Situada no Valle de Limarí, ao norte do Chile, a Tabalí vem se destacando com seus Syrah's, Chardonnay's e Sauvignon's, além de um interessantíssimo late harvest feito com moscatel rosada. 
Nosso exemplar de hoje é típico, até mesmo didático. Cor clássica, amarelo-palha com discreto reflexo esverdeado, aromas minerais e herbáceos intensos e destaque para a presença de aspargo. 
Na boca o equilíbrio é marcante e surpreendente. Corpo médio, boa acidez e retrogosto perene confirmando os aspargos. Acompanhou camarões com molho de laranja e ervas e foi bem. 
Foi bebido na companhia do amigo Jean (O Tanino) numa sexta a noite sem maiores pretensões, acompanhou perfeitamente o bom bate-papo e os minutos passaram apressados. 
Forte Abraço!

Rayun Chardonnay Reserva 2009

 
Eu adoro vinhos chilenos, mas não gosto muito dos Chardonnay's de lá... Normalmente muito amadeirados para as preferências do meu paladar. Mas esse daqui tá bem bacana... Aquela madeira forte com um certo toque verde que o Chardonnay chileno costuma ter está bem domado e fruta se destaca! 
Outro fator inusitado é que este vinho vem do Vale do Maipo, mais tradicional na produção dos vinhos tintos. Tem rápido amadurecimento em aço inoxidável. 
De cor amarelo palha com suave reflexo ouro. Aromaticamente é intenso com muita fruta branca e nuances minerais e de baunilha. Na boca a mineralidade se acentua, bom corpo e boa acidez! 
Um chardonnay mais leve e com muita personalidade! 
Forte Abraço!

Falernia Carmenère Reserva 2006

A Viña Falernia é uma vinícola cujos proprietários e enólogo são italianos e fica no semi-desértico Valle do Elqui, já comentei um Syrah deles por aqui em 2009. Este vale é muito tradicional para a produção de uvas para o Pisco, aguardente muito tradicional por lá. 
Uma noite dessas visitando o amigo João Filipe ele me sai com esta garrafa aqui... Um Carmenère da Falernia com colheita tardia... um estilo mais "Amarone" de se fazer vinho... italianos no Chile, só poderia dar nessas coisas... melhor para nós consumidores. O objetivo da sobrematuração das uvas nas vinhas é obter um vinho de maior intensidade de corpo, sabores e aromas. 
Eu acho que neste Carmenère o objetivo foi alcançado. Um vinho com uma suave ponta doce sim, mas agradável, intenso e saboroso, com boa acidez e aromático. E ainda sem aquela tipicidade chilena, uma bela e surpreendente experiência! 
Quer conhecer um pouco mais sobre os Vales Chilenos? Reforço o convite! Dia 26 estarei "batendo um papo" sobre o Chile, seus Vales, Uvas e Vinhos na Vino & Sapore e ainda provaremos 06 bons vinhos, mais informações clique aqui! 
Forte Abraço!

Um Verdicchio e Uma Torta de Palmito...

Era uma noite qualquer da semana, sem grandes pretensões... ao chegar em casa minha esposa me esperava com uma torta de palmito para aquela espécie de lanche-jantar. O aroma dominava a casa... 
Depois de um rápido banho a torta já estava a mesa, levemente dourada, apetitosa... Era uma noite fresca e agradável, optei por um vinho branco. já fazia algum tempo que não bebia um Versicchio, por que não? 
Um vinho elegante com notas de flores e frutas brancas. Na boca é leve, escorrega bem... suave untuosidade. Sedutor em todos os sentidos.
Faltou um pouco de corpo para acompanhar a torta, mas valeu mais uma experiência... e afinal... como estava tudo muito bom, foi ótimo! 
Forte Abraço!

Paiara IGT 2008, Porpetinhas & Polenta

Ontem eu falei de tantos vinhos italianos, hoje eu vou falar de mais um... um vinho da Puglia, ali no calcanhar da bota. Terra da uva primitivo, mas terra também da peculiar Negromaro. 
Normalmente os vinhos produzidos com a Negromaro são de preços acessíveis, esse aqui sai por R$ 29, e assim podemos sair do eixo Argentina-Chile e curtir um pouco dos vinhos europeus. 
Nosso exemplar de hoje é um corte na verdade, base Negromaro (70%) temperado com a já internacional Cabernet Sauvignon (30%). Sem passagem por madeira, temos um vinho intenso. 
De cor rubí intensa, aromas exuberantes de frutas negras maduras, com nuances químicos e terrosos. Em determinado momento parecía que o vinho era geléia de jabuticaba pura... nunca havía sentido esse aroma de forma tão clara, me encantou! 
Na boca intenisdade com várias camadas de sabores, destacando-se as frutas no retrogosto. Italiano em seu estilo, com boa acidez, equilíbrio e volume tânico maduro. Um vinho sedoso! 
Agora com a polenta e as porpetinhas que a Tia Maria fez... ficou um pecado! 
Forte Abraço!

Vinho & Pizza

Hoje é sexta-feira, noite para uma boa pizza, não? Acabando a semana, nada de ir para a cozinha... certo? E aí surge uma excelente oportunidade para a mais querida... a boa e velha Pizza!!! 
A redonda pode ser feita de tantas formas, com tantas possibilidades de recheio, e agora??? Qual vinho escolher? O que harmoniza? 
A verdade é que não existe resposta certa, afinal o recheio manda... e como já disse, são inúmeras as possibilidades. Mas eu tenho uma opinião! Pizza é com vinho italiano! 
Se o molho de tomate imperar no recheio, como numa mussarela ou napolitana eu vou de Dolcetto ou Chianti. Se o recheio tiver linguiça ou calabresa ou algo de javalí com muitas ervas e temperos eu opto por um bom Syrah do Sul da Itália. Porém posso estar mais tradicionalista  e optar por um bom Montepulciano D'Abruzzo.
Agora se já for uma pizza mais sofisticada, porém leve, como uma com abobrinha curada no alho ou com queijo de cabra porque não um bom branco? Que tal um Gavi do Piemonte... E se for uma pizza sofisticada com cogumelos ou bacon... que tal um vinho produzido com Nerello Mascalese aos pés do Etna??? Não tem? Vai de Barbaresco... 
Mas se a sua pizza tiver um grande volume de sabor, como aquelas que são repletas de catupiry ou a tradicionalíssima Quatro Queijos eu escolho um Primitivo di Manduria. 
Sua pizza pode ter também um italianíssimo presunto parma ou até mesmo uma pancetta frita, dá até para arriscar um Barolo... Achou muito? Escolha outro vinho italiano e se divirta! 
Ciao, ciao!!!

Parinacota 2009

Mais um vinho chileno que conheci recentemente... da Bodega Volcanes, que produz o recém comentado Summit 2900. Tem o nome deste vulcão que fica na fronteira do Chile com a Bolívia, a beira do Lago Chungará, aliás este lago foi criado por uma de suas erupções... 
Bom, um pouco sobre o vinho... Trata-se de um corte de Syrah com Carignan, oriundo do Valle de Maule, aliás o melhor terroir chileno para a Carignan no Chile é a sub-região de Loncomilla que faz parte do Valle de Maule. 
Um tinto com muita expressão tanto na sua cor rubi violácea, mas como nos aromas de frutos maduros, chocolate, menta, etc. Saboroso e intenso. Potente sem perder equilíbrio, com muita acidez e carga tânica vasta e madura. Enfim um belo vinho. Vale a pena conhecer, sai por R$ 98. 
Forte abraço!

Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!