Embate Português: Joaquim Madeira Branco 2006


Branco, Arinto, Antão Vaz, Chardonnay
País: Portugal
Preço: R$ 90
Bom... este foi o primeiro vinho do Embate Português que realizamos, foi gentilmente trazido pelo nosso amigo João Filipe Clemente. Um branco do Alentejo com um toque francês, apenas 5% de Chardonnay, que é fermentada conjuntamente com a Antào Vaz em barricas de carvalho francês. A Arinto é fermentada em Inox.
Desta maravilha são produzidas apenas 4.000 garrafas, trata-se de um branco macio mas sem todo aquele corpo exagerado dos Chardonnay's sulamericanos... Um vinho elegante!
Tinha cor amarelo palha com reflexo dourado, lágrimas abundantes... Os aromas sugeriam frutas tropicais e brancas além de uma suave presença da madeira.
Na taça bom corpo aliado a boa acidez, um conjunto equilibrado, nada excessivo. Agradável e com boa persistência confirmando as frutas. Foi acompanhado das entradas de polvo e bolinho de bacalhau, que ficarm um degrau abaixo dele.
Forte Abraço!

Concha Y Toro Late Harvest 2005

Branco Doce (Sobremesa), Riesling, Sauvignon Blanc
País: Chile
Preço: R$ 48
Um belo vinho para acompanhar as pecaminosas sobremesas. Este chileno do Valle de Maule comprova a força e qualidade deste gigantesco produtor.
Na taça apresentou cor dourada brilhante, as lágrimas eram escassas na taça, mas as que estavam por lá corriam ligeiras... Os aromas trazim frutas cítricas doces, como damasco, laranja, além de flores e mel.
Na boca o equilíbrio é soberbo. Com álcool na medida para amaciar o palato, acidez volumosa para sustentar o bom corpo e a doçura. Retrogosto confirmando as frutas cítricas e de excelente persistência.
Vale a pena! Pode ser guardado ainda, mas eu consumiria já, pois está em ótima forma e não acredito que os anos trarão muitos benefícios.
Forte Abraço!

Almoço de Domingo: Embate Português!


Na próxima semana você poderá curtir o Embate Português que realizamos no último domingo (23/01). Foram quatros vinhos de muita personalidade! Um branco do Alentejo, um tinto do Dão, outro tinto de Estremadura (Lisboa) e por fim um fortificado de Setúbal.
Todos eles em ótimo momento de consumo e de agradabilíssimas qualidades. Harmonizaram com a comida, mas também com o clima e com os amigos João Filipe Clemente e Alexandre Frias e as respectivas esposas, por enquanto só as fotos...
Serão 04 posts diários, a partir de segunda, um para cada vinho, interrompidos apenas pelo vinho do mês da Confraria Brasileira de Enoblogs (CBE).
Forte Abraço!

Casa Lapostolle Sauvignon Blanc 2009

Branco, 100% Sauvignon Blanc
País: Chile
Preço: R$ 40
Na minha busca por menos caráter herbáceo e mais fruta no Sauvignon Blanc chileno decidí experimentar este aqui da premiadíssima Casa Lapostolle. Mais um vinho que não é do tradicional Valle de Casablanca e sim do Valle do Rapel.
Conseguí mais fruta, mas perdemos em acidez e achei que o conjunto ficou abaixo do esperado... não é um desastre, mas está um degrau abaixo dos "ïrmãos" de Casablanca.
Na taça cor amarelo palha, sem reflexos. Chorou bastante... Um pouco tímido no nariz apresentou notas de frutas cítricas e brancas maduras, como abacaxí e melão. Alguma nota herbácea complementando o painel.
Na boca corpo médio, acidez moderada, retrogosto frutado e suavemente doce, confirmando a fruta madura. Um vinho para ser bebido na sua juventude, com no máximo 02 anos de garrafa. Acho que deve acompanhar bem saladas, um vinho para as entradas menos sofisticadas.
Forte abraço!

Norton Malbec DOC 2007


Tinto, 100% Malbec
País: Argentina
Preço: R$ 32
É sempre bom comemorar com um clássico em cima da mesa. E este vinho já é um clássico da vinicultura argentina. Pode comprar, não tem erro, na sua faixa de preço é praticamente imbatível, dificilmente vamos achar um Malbec melhor. Bebí na última sexta... com um amigo, comemorando mais uma pequena vitória da vida...
É um típico Malbec... com muita intensidade de cor na taça, aquele rubí violáceo, tingindo a taça inteira, sempre os aromas de ameixa madura por lá, exuberantes! Na boca é redondo, com taninos macios e boa persistência!
Esse aqui acompanhou uma picanha... mas os argentinos garantem! Fica melhor com Bife de Chorizo... e fica mesmo.
Forte Abraço!

Altos de la Hoya 2008


Tinto, 92% Monastrell, 08% Garnacha
País: Espanha
Bodegas Olivares
Preço: R$ 49
O segundo vinho da noite da última quinta-feira foi esse espanhol, que safra após safra vem recebendo boas pontuações dos críticos internacionais. Trata-se de um vinho muito saboroso e que agrada fácil. Legal para você puxar alguém para o mundo do vinho...por fim é proveniente da desconhecida região de Jumilla.
Na taça apresentou cor rubí intensa, sem reflexos, e chorou legal... Os aromas demonstraram boa intensidade e excelente complexidade, muitas frutas secas, alem de notas terrosas e animais como couro e defumado, interessantíssimo!
Na boca foi sóbrio e sem excessos. Corpo pleno, boa acidez, taninos macios e volumosos! Nenhum sinal de álcool ou amargor. Retrogosto confirmando as frutas e boa persistência.
Harmonizou super bem com presunto crú e acho que ficará bom com risotos que levem bacon ou carne de porco defumada. Pode ser guardado por mais dois anos... mas eu não tería essa paciência toda para desfrutá-lo.
Forte Abraço!

Leyda Reserva Sauvignon Blanc 2009

Branco, 100% Sauvignon Blanc
País: Chile - Valle de Leyda
Preço: R$ 42
Era quinta-feira, final de tarde, e eu estava na Rosso Bianco em Jundiaí acompanhado de dois amigos. Passamos duas horas agradáveis, uma delas acompanhado deste belo Sauvignon Blanc chileno.
Aliás este vinho não vem do tradicional Valle de Casablanca, vem do Valle de Leyda, que fica dentro do Valle de San Antonio, região promissora para Chardonnay, Syrah e Sauvignon Blanc, como veremos...
O detalhe deste vale chileno é que aqui, segundo as pesquisas, o amadurecimento das uvas é mais lento devido a uma primavera e a um verão de temperaturas mais brandas, o que acaba por aportar notas de sabores e aromas diferentes.
Bom... vamos ao vinho? Na taça amaerlo palha, com leve reflexo esverdeado, sem halo aquoso aparente e muitas lágrimas chorando na taça.
A exuberância aromática do vinho é fantástica! Realmente intenso e complexo! As notas herbáceas já tradicionais nos sauvignon blanc's chilenos, estão presentes mas domadas! Muita fruta tropical... maçã verde, maracujá e tangerina além de nuances minerais.
Pleno em boca, encanta pelo equilíbrio. Excelente acidez, sem agressividade, retrogosto frutado e boa persistência! Vale cada centavo e devolve um troco!
Acredito que frutos do mar e frutas tropicais farão um belo par a este vinho, como um camarão no abacaxi...
Forte abraço!

Desafio Syrah na Vino & Sapore!!!

Por apenas R$ 50 você pode passear com a Syrah pelo mundo, local de partida??? Vino & Sapore, loja de vinhos na Granja Viana do amigo João Filipe Clemente.
Acho imperdível e tem uma série de outros benefícios para os presentes, como descontos para compra de um dos rótulos degustados além de mais 30 rótulos com preços promocionais, confira aqui!
Voltando a degustação... confira os desafiantes na foto abaixo! Aproveite e dê uma olhada no que o João Filipe fala dos vinhos... realmente imperdível!


• Representando o Chile, um “vin de garage” que tradicionalmente custa em torno de R$135,00 mas que está neste mês por R$115,00 o que fez se encaixar na faixa de preços definida, mesmo qiue momentaneamente, o I Latina Syrah 2008. Apenas 9978 garrafas elaboradas por uma das mais conceituadas enólogas do Chile num projeto de autor, feito á mão e que na sua primeira safra (07) obteve 92 pontos do Guia Descorchados. Terá que passar por uns 45 minutos de decanter, mas certamente mexerá com as sensações dos desgustadores.
• Representando a Austrália, o Schild Estates Shiraz 2005, o da safra 2008 obteve a sétima colocação entre os TOP 100 de 2010 da Wine Spectator. Em Maio de 2009 num grande embate ás cegas com mais 7 belos e conceituados oponentes, faturou o primeiro lugar. Um desafiante à altura e candidato ao pódio. Rótulo de R$105,00.
• Da França, especificamente do Rhône berço desta cepa, vem o Vidal Fleury Crozes-Hermitage 07, um vinho que me surpreendeu. A Wine Spectator lhe deu 87 pontos, eu acho que vale uns dois pontos a mais, mas de qualquer forma cada às cegas veremos como se comporta. Preço deste rótulo; R$112,00.
• A África do Sul, como o Chile, tem mostrado ter um terroir que produz belos Syrahs, sendo que a grande maioria dos grandes vinhos aqui produzidos são oriundos desta cepa ou a têm como protagonista no blend. O Raka Biography 2005, ganhou status de “cult” na África do Sul onde é reconhecido como um verdadeiro clássico, entre os melhores 25 vinhos sul africanos da atualidade de acordo com John Platter um dos mais importantes críticos da região e autor do guia South African Wines. Mais um rótulo de qualidade a ser conferido e possue um preço de R$97,00.
• Dos Estados Unidos, região de Central Coast, vem mais um desafiante, o Mandolin Syrah 2005, 90 pontos da Wine Enthusiast e entre os TOP 100 “Best Buys” de 2008. Um digno representante yankee nesta contenda que promete ser muito interessante. Preço de R$85,00.
• Também da Austrália o Two Up Syrah 2006. A international Wine Cellar Magazine lhe deu 89 pontos e a Beverage Dynamics 93 pontos. Stephen Tanzer 88 pontos e Robert Parker 90, ou seja pontuação não falta, só o que precisamos saber é se ele demonstrará na taça todos esses predicados que lhe renderam essa reputação. Produzido pela Kangarilla Road, eis mais um desafiante de peso do país que adotou esta casta como sua cepa ìcone. Preço R$85,00.

Leonardo Monna Lisa Rosso IGT 2008

Tinto, 90% Sangiovese, 10% Merlot
País: Itália
Preço: R$ 40
O jantar iría ser uma massinha clássica, procurando por um Chianti acabei comprando esse Rosso da Toscana a base de Sangiovese, com um pequeno percentual de Merlot.
Um vinho simples, sem grandes pretensões, mas agradável e que pede uma massa a mesa. Apresentou cor rubí translúcida, com o halo aquoso já desenvolvido e poucas lágrimas na taça, expressando seu baixo nível alcóolico, 12%.
Os aromas remeteram a frutas vermelhas frescas, algum toque herbáceo, algum toque terroso, típicos do terroir toscano, mas muito tímidos passando quase despercebidos.
Na boca um vinho de boa acidez, baixa carga tânica, porém madura, médio corpo, leve amargor e sem sinais de álcool. Retrogosto frutado e persistência razoável.
Pode sim substituir o seu Chianti com aquela massa a pomodoro...
Forte Abraço!

Santa Helena Reservado Sauvignon Blanc 2009

Branco, Sauvignon Blanc
País: Chile
Preço: R$ 22
Comprei este Santa Helena para ser o vinho do tempero... aquele com o qual temperamos as carnes brancas, fazemos risotos ou molhos... mas como todo mundo faz... risos... uma taça para o molho outra para o chef!!! Portanto este famigerado rótulo venho parar aqui no Vivendo Vinhos.
Trata-se de um Sauvignon Blanco do Valle Central, ou seja não é das principais regiões produtoras chilenas de Sauvignon Blanc, o que fica ainda mais claro quando o degustamos.
Apresenta cor amarelo palha com leve reflexo esverdeado, praticamente sem lágrimas na taça, apenas 12,5% de álcool. O nariz é bem tímido com lembrança herbácea e de frutas brancas.
Na boca é que percebemos a diferença para os outros Sauvignon's Blanc chilenos. Temos um vinho com pouca presença, sem estilo. Corpo leve, acidez moderada, sem amargor, mas também sem persistência alguma.
Na boa... se vc puder pagar até R$ 10 a mais pelo vinho, compre do mesmo produtor o Sauvignon Blanc Premium Varietal, vale muito mais a pena e já foi comentado aqui no blog.
Forte Abraço!

San Zio Chianti 2005, Diferente!


Tinto, Sangiovese, Merlot
País: Itália
Cantina Leonardo da Vinci
Preço: R$ 150
Bom... este vinho aqui, pra mim, é uma surpresa! Pois ele é diferente do que espero de um Chianti... Ele me lembrou os blends de sulamericanos, encorpados, cheios de fruta.
Desde a cor rubí intensa, opaca, negra! Passando pelos aromas frutados, doces, com a presença da madeira complementando. E chegando por fim ao volumoso corpo repleto de taninos maduros, amarrando a boca com elegância já que eram bem acompanhados pela boa acidez e um estupendo final frutado.
Acompanhou um ossobuco no Le Chef em Campinas mas apesar da excelente acidez não foi a melhor harmonização... Pena! Pois se trata de um belo caldo.
Enfim... um chianti com cara de Novo Mundo, de Super Toscano... sinceramente eu gostei do vinho mas não devía se chamar Chianti.
Forte Abraço!

Cabrito & Vinhos

Esse fim de semana teve aquela esbórnia da Confraria da Mentira... Reúnidos novamente e dessa vez comandados pelo confrade Emerson, passamos o dia saboreando cabrito, teve risoto de lombo de cabrito, cabrito ensopado com batata doce e cenouras, perna de cabrito assada e por fim um pavê de pêssego...
Foram muitos vinhos e como fiquei entretido curtindo os vinhos e os pratos, não fiz anotações... mas gostaría de dizer que o Rosso di Montalcino fez um belo par ao risoto, que o Wallace é um vinho para lá de interessante e que eu devería bebê-lo novamente na companhia de uma comida menos forte e que o Quinta Vale D. Maria é um vinhaço! Vale cada centavo investido nele...
Ainda sobre as possíveis harmonizações acredito que com o segundo prato que tem uma doçura ainda mais proeminente devido a batata doce e a cenoura, numa próxima vez eu arriscaría um primitivo ou um zinfandel...
Forte Abraço!

Château L'Eglise Saget 2007 #cbe

Tinto, 60% Merlot, 40% Cabernet Sauvignon
França - Bordeaux
Château L'Eglise Saget
Preço: R$ 41
O vinho de janeiro da Confraria Brasileira de Enoblogs foi indicado pelo Silvestre do Vivendo a Vida, a escolha caiu sobre um Bordeaux e foi permitido que os preços chegassem a R$ 150. Mas existem bordeaux bons e baratos???
É uma boa pergunta a se reponder e acredito que o painel que a CBE apresenta hoje ajudará a responder. Procurando contribuir para essa resposta fiz minha escolha sobre um bordeaux de R$ 41, comercializado pela Vinci e acredito ter encontrado um Best Buy.
O aspecto visual dele mostra uma cor rubí escura e brilhante e as lágrimas correm pelas paredes da taça, não são muitas já demonstrando os 12% de álcool.
Os aromas remetem a frutas vermelhas frescas, especiarias e ervas. Com o passar do tempo as especiarias e ervas se acentuam com algum nuance animal como couro. Este vinho não tem passagem por madeira.
O ataque em boca é redondo com boa acidez, bom corpo, retrogosto frutado e média carga tânica porém os taninos são de boa qualidade. Não há incômodo de álcool nem de amargor. É um vinho redondo, com alguma complexidade, pena que seja fugaz em boca. Seus sabores passam rapidamente.
Pode ser guardado por 02 ou 03 anos e harmonizará com massas simples e carnes grelhadas.
Forte Abraço!

Almoço de Domingo: Frango Asiático e Chardonnay Argentino


Primeiro domingo de ano começou com os exóticos temperos asiáticos! E foi bem interessante. Na verdade foram algumas sobrecoxas de frango temperadas num creme a base iogurte e assadas por 45 minutos no forno, cobertas por um molho a base de damascos e laranja.
O vinho da vez foi o Benjamin Nieto Senetiner Chardonnay 2010, já que minha adega estava sem as melhores opções de harmonização, que seríam um Viognier e o Gewurztraminner. Mas... até que não foi ruim, passou...
Bom... para o preparo do frango tenha em mãos 06 sobrecoxas sem pele e as deixe marinar por 02hs em uma xícara de vinho branco e dois ramos de alecrim. Ao mesmo tempo despedaçe 06 damascos e deixe de molho numa panela com 02 xícaras de água.
Quando o tempo estiver se aproximando misture numa tigela 01 pote de iogurte natural, 02 colheres de sobremesa de curry, 01 de páprica doce e outra de cominho em pó, por fim uma colher de chá de sal. Aqui podemos utilizar outros temperos como canela em pó ou noz moscada, vai do gosto de cada um... mas acho que esses temperos exigirão uma carne mais forte. O iogurte ficará com uma cor mostarda, mergulhe as sobrecoxas lá...misture-as bem com o iogurte, use as mãos... deixe descansar por 30 minutos.
Começe a coser os damascos em fogo baixo. Faça um suco de 04 laranjas bem maduras e acrescente, mantenha o fogo baixo, quando o líquido estiver pela metade acrescente meia xícara de vinho branco e mel a gosto, duas colheres de sobremesa é interessante. Continue com o fogo baixo até o molho reduzir para um terço da quantidade inicial. Tenha paciência, este preparo leva pouco mais de 01 hora.

Nesse tempo poderá colocar suas sobrecoxas para assar no forno a 200 graus. Cerca de 40 minutos serão suficientes. as sobrecoxas estarão com um aspecto semelhante a um frango a milanesa.
No prato faça uma cama com um purê de batatas, ajeite as sobrecoxas de frango e despeja meia concha do molho, decore com hortelã fresca. Fica bonito e eu ainda ganhei o lindo sorriso da minha esposa.
A harmonização pediría um vinho um pouco mais untuoso, mas este fresco chardonnay teve seus momentos, os aromas de frutas tropicais e ervas foram interessantes e perenes. O vinho apresentou bom corpo e acidez suficiente para sustentar o prato. Mas realmente faltou untuosidade e aquela lembrança doce no retrogosto para uma harmonização mais adequada.
Enfim... não brigou com o prato e posso dizer que por R$ 20 é um belo chardonnay. Ficará bem interessante com entradas, principalmente aquelas que levarem frutos do mar. Acredito que podemos guardá-lo por 02 anos.
Forte Abraço!

Vinhos Abatidos no Reveillon 2010/2011

Digamos que eu fui mais discreto no Reveillon... mas a farra ainda foi boa!
Um grande 2011 para você meu amigo e leitor!
Forte Abraço!
- Cava Marrugat
- Casa Rivas Maria Pinto Estate 2003
- Château L'Eglise Saget 2007
- Cavas de Pedriel Malbec/Syrah 2006

Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!