Besllum 2008, Mais um Bom Vinho Espanhol!


Mais um sabadão desses, que passa tranquilo, na presença de um bom amigo, bom e velho amigo, já fazia algum tempo que não o via. Sempre é bom fortalecer os laços de amizade, relembrando histórias e contando e conhecendo novas... 
E para estes bons e velhos amigos, receitas de família pedem passagem, por isso fiz o Filet Mignon da minha mãe com Purê de Batatas, esse filet vai ao forno com queijo mussarela e intenso molho, feito a partir de vinho tinto, suco de laranja e creme de leite... um espetáculo! 
Para acompanhar, um vinho espanhol de boa intensidade e doçura na boca. Presente que ganhei de um outro bom amigo, um novo amigo. O fato é que os amigos fazem A diferença! 
Voltando ao vinho, é um espanhol da região de Monsant, 50% Garnacha e 50% Samsó (Carignan), 16 meses de estágio em barricas francesas. Na taça apresentou intensa cor rubi! 
Aromas de frutos negros maduros dominavam o painel, com nuances de pimentão, especiarias, alecrim, couro e chocolate. Na boca um vinho de pegada, grande volume, boa acidez, taninos rústicos e boa persistência. Casou muito bem com o molho da carne. 
Pena que eu tinha só uma garrafa.
Forte Abraço!

Encontro de Vinhos Ribeirão Preto Esse Sábado!!!


Ribeirão Preto é uma cidade privilegiada, quem conhece sabe! Mas nesse sábado tem Encontro de Vinhos, aí Ribeirão fica ainda mais especial, não é mesmo?! 
Novamente o excelente Hotel JP, ali na Rodovia Anhanguera, receberá o evento, os ingressos sairão por R$ 60! 
Forte abraço!

Las Perdices Reserva Don Juan 2007


Esse é da adega do meu velho também... Experimentei na mesma noite do Catena, um corte que vem de Mendoza, e se é argentino tem Malbec como base, 70%. Syrah (11%), Bonarda (10%) e Merlot (9%) completam o corte. 
Eu diria que é um vinho ao melhor estilo argentino. Na taça cor rubi violácea, impenetrável à luz. Os aromas de frutas em compota com destaque para ameixas e figos. desenvolve baunilha, carvalho e chocolate, estágio de 18 meses em barrica francesa. 
Na boca é potente com boa estrutura, pegada alcoólica, taninos volumosos e acidez moderada, fica suavemente doce, ressaltando as frutas em compota. Tem boa persistência. Acho que pode acompanhar bem uma costelinha de porco ao molho de ameixa. No meu caso, o prato da noite era lasanha... obviamente não deu certo, mas o que vale é a festa! 
Forte Abraço!

Essa Semana tem Wine Weekend!!!


Começa quinta agora!!! A IV Wine Weekend, que vai de 25 a 28 de julho, com o Selo Carbono Zero e o Projeto Rolha Verde, idéias que você pode e deve conhecer. Vai rolar na Bienal, no Parque do Ibirapuera, os ingressos sairão por R$ 50! 
A Wine Weekend além da feira (expositores) tem outras atrações como palestras, filmes, Art Wine Gallery, Espaço Enocultural e até Pocket Show, confira no link! 
Forte Abraço!

Terrazas Reserva Malbec 2009 & #Hamburger


Quando vou a Curitiba passo no Madero! Adoro o ambiente de lá e o Hamburger é fora de série! Muito bom mesmo. Outro fator importante é que o Madero tem uma carta de vinhos vasta e sempre há boas escolhas, dos mais variados preços. 
Dessa vez escolhi um malbec clássico, pelo menos aqui em casa... Eu e meu pai sempre bebemos Terrazas, sempre gostamos muito dos vinhos dessa vinícola e já fazia um tempo que não abríamos uma garrafa deles, como pode? 
Mas um clássico como esse sempre atende o esperado! Cor rubi intensa, nariz apresentando frutas vermelhas e negras maduras, nuances de especiaria, café e chocolate. Na boca é típico, grande volume, acidez moderada, ponta alcoólica com taninos rústicos. Retrogosto confirmando as frutas, boa persistência. 
E olha... acompanha bem essa belezura aí de baixo... 
Forte Abraço!

As Principais Uvas do Mundo: Chardonnay

A Chardonnay é sem dúvida a uva branca mais disseminada no mundo. Originária da Borgonha, é de cultivo fácil diferentemente da "irmã" Pinot Noir. Seu único detalhe é o florescimento precoce que a deixa frágil as últimas geadas, aquelas que acontecem no início da primavera em alguns poucos e frios lugares do mundo. 
Esta uva é de sabor dócil, que aceita facilmente diferentes estilos, aceita muito bem o estágio em carvalho, a verdade é que a Chardonnay pode assumir a personalidade que o Enólogo desejar. É possível experimentar Chards frescos e joviais, marcados pelas frutas tropicais ou pela mineralidade, Chards não amadeirados, ou sérios e longevos com notas amanteigadas e, por fim, até mesmo chards doces. 
Não podemos esquecer que assim como a Pinot Noir, a Chardonnay faz parte do corte clássico dos espumantes. 
Forte abraço!

Ken Forrester Petit Chenin Blanc 2011, Fresco!


Sempre fui um curioso em relação a Chenin Blanc, variedade originária do Loire mas que se adaptou muito bem ao terroir sul-africano. E normalmente é da África do Sul que consigo provar alguns poucos varietais desta cepa. 
Dia desses, visitando os familiares em Itatiba, fizemos um risoto de alho poró com camarões e decidi abrir este vinho. O rótulo traz uma apresentação moderna e bonita, me deixou curioso. 
Na taça cor amarelo palha com reflexo esverdeado. Os aromas eram discretos, remetiam a frutas cítricas, como lima, limão e carambola, algum nuance de alecrim e manjericão completavam o painel. Na boca um vinho fresco, de boa acidez que secava bem a boca. Corpo leve e retrogosto confirmando as frutas cítricas. 
Não suportou a comida, era previsível, mas como eu sempre tento algo diferente, valeu a pena! Irá melhor com saladas, faz tempo que não faço uma de rúcula com laranja, acho que com essa ele iria fechar bem! 
Forte Abraço!

Hoje é o Dia Internacional da Pizza!!! Celebre!!! Com um bom vinho italiano, é claro!!! #cbe



O Dia da Pizza é celebrado no Brasil desde 1935!!! Tem quase 80 anos... E a pizza é a redonda mais querida de muitos de nós, vai bem até no café da manhã, não é verdade? (minha mulher não concorda muito com esse comentário... risos). 
Apesar de Nápoles ser o berço da Pizza moderna, a origem dela é controversa! É fato que egípcios, fenícios, hebreus e babilônios, já misturavam trigo, amido e água em formatos de disco para assarem em tijolos e/ou fornos rústico, isso 5000 anos antes de Cristo. 
Essas curiosidades históricas são uma delícia, mas o tema deste blog é vinho, então qual vinho vai com uma boa pizza??? Em "mineirês"claro: depende!!! Os recheios mandam, por exemplo, eu prefiro a tradicional marguerita ou a zuchinni (abobrinha) com vinhos brancos, especialmente os italianos como o Gavi, mas infelizmente esse é bem difícil de encontrar ainda mais em pizzarias. 
Mas para não fugir da pergunta, eu gosto de vinhos de corpo médio e boa acidez para acompanhar. Minhas escolhas normalmente recaem sobre os Chiantis. Se eu tivesse que cravar um vinho, independente do recheio, seria o Chianti. Exceto é lógico para pizza de aliche, essa tem que ser com chopp, concordam??? 
Bom... fato é que a única regra para harmonização de pizza com vinho é que o recheio manda! Eu vou dar mais uma sugestão aqui, costumo sempre pedir pizza de calabresa ou linguiças artesanais, para essas sempre peço vinhos de corpo médio, acidez presente e boa fruta e intensidade na boca como o Paiara 2010! 
Forte Abraço!

Catena Zapata Malbec 2005


Esse vinho é um verdadeiro clássico! Catena Zapata é sinônimo de qualidade, competência, dedicação... mas admito que na minha adega nunca tem... pode isso, Arnaldo? 
Pois é... eu que sou o típico curioso no mundo do vinho, sempre estou comprando e experimentando coisas novas e com esse comportamento não tem muito espaço na minha adega para muitos "porto seguros". Mas na adega do meu pai... sempre tem!!! Então quando eu quero um, eu ataco a adega dele!!! risos 
Esse Catena é da safra 2005, 91 pontos para o Parker, etc e tal. Mas o mais importante é que estava maduro, no auge! Na taça aquela cor rubi intensa ainda, típica da Malbec, os aromas remetiam a frutas negras já passas, ervas, terra molhada, couro, chocolate amargo, bem complexo e intenso. 
Na boca apresentou boa estrutura, acidez moderada, taninos finos e nenhuma aresta alcoólica. Retrogosto frutado e perene. Bela evolução! 
Enfim vale a pena guardar um Catena! 
Forte Abraço!

As Principais Uvas do Mundo: Pinot Noir

Ela produz vinhos intrigantes, inebriantes e muitíssimos desejados por todos nós enófilos apaixonados. A Pinot Noir é a uva da sutileza, dos detalhes, da paixão...  
Variedade tinta de casca fina, amadurece cedo, portanto extremamente sensível as condições do terroir. Prefere os mais frios, é de difícil cultivo e manejo. Tenho certeza que alguns produtores olham para as videiras desta uva e pensam como ela é manhosa, chata... mas quando está feliz, os vinhos são excepcionais. 
A Pinot Noir é nativa da Borgonha, herda todo o charme da região e alcança seu esplendor em Côte d'Or, raramente é cortada com outras uvas, na verdade fazer isso é crime inafiançável... Porém é importante lembrar que esta uva faz parte do corte clássico para espumantes juntamente com a Chardonnay e a Pinot Meunier.
Fora da terra mãe há na verdade uma corrida pela Pinot Noir, o mundo inteiro quer fazer vinhos do nível da Borgonha, com aqueles nuances sutis e maravilhosos. A Nova Zelândia em Martiborough é quem mais se aproxima. 
Mas é preciso ser justo, há bons Pinots norte-americanos, chilenos, argentinos (Patagônia) e australianos. E com preços bem mais atrativos. 
Forte Abraço!

Ossobuco, Polenta & Brunello!!! #CBE


O Tema do mês da Confraria Brasileira de Enoblogs foi para lá de especial!!! Os amigos Claudio e Rafaela do Le Vin au Blog pediram aos confrades que literalmente desapegassem de suas adegas, mais precisamente de suas garrafas especiais, há anos guardadas... Chegou o momento de abrir algum de nossos tesouros!!! 
Eu, por ser descendente, tenho uma paixão toda especial pelos vinhos italianos, guardo alguns por anos a fio, principalmente os Barolos e Brunellos, como o Barolo ainda não está pronto decidi abrir um Brunello que já estava completando 10 anos de idade! E para acompanhar...
Eu sou um daqueles caras doentes por Ossobuco, conheço mais uns dois como eu... E para nós não tem discussão! Carne é Ossobuco! Não tem conversa... 
Traduzindo Ossobuco para português quer dizer osso oco, vem do chambão do boi, é a canela... Muito tradicional no norte da Itália especialmente em Milão tem como acompanhamento clássico o Risoto alla Milanese. 
Mas eu prefiro com polenta! E minha esposa também... aí já viu, né?! A polenta também é muito tradicional no Norte da Itália porém no Vêneto e Friulli, aliás a polenta, na época dos Romanos era feita com aveia!!! Só quando os espanhóis trouxeram o milho da recém descoberta América ela passou a ser feita com milho!
Aqui em casa já acompanhei Ossobuco com vários vinhos, inclusive Barolo ali do Piemonte, Milão... afinal vinho e comida da mesma região combinam demais. Porém, eu admito! Prefiro Ossobuco com Brunello, para mim a acidez e a harmonia do Brunello encontram par perfeito no Ossobuco, é emocionante! 
O Il Paradiso de Frassina 2003 é um Brunello sensacional, elegante, complexo e com aquele nuance rústico dos vinhos da Toscana. Eu já comentei detalhadamente em 2010, relembre! Posso dizer que este só evoluiu a fruta está mais madura, a acidez permanece em alta e o retrogosto é interminável...
O amigo ou amiga que ficou com vontade por causa da foto e quer uma receita, tem uma boa aqui
Bom Proveito e Forte Abraço!

Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!