O Grande Brites Aguiar 2008 Reencontrando Amigos no Lisboa Gastronomia em Curitiba!


Reencontrar grandes amigos é sempre um deleite, mas é mais especial quando encontramos aqueles poucos que continuam conosco desde a infância, sem desmerecer os outros amigos é claro! 
Quando vou a minha cidade natal, Curitiba, posso ver e rever além dos meus familiares queridos alguns poucos grandes amigos e um deles em especial é fã de boa comida e vinhos como eu, aí já viu...
Foi num sábado a noite, ele, descendente de português, escolheu o Lisboa Gastronomia, restaurante que ainda não conhecia, excelente comida e atendimento, além de rolha zero. Realmente nos proporcionou uma grande experiência. 
Numa mesa portuguesa tem bacalhau com certeza. Em postas ou desfiado com natas, ambos tenros e saborosos. Para acompanhar um vinho trazido diretamente do Douro, um Brites Aguiar 2008! 
Como diz o produtor só as melhores uvas, nas melhores safras podem levar o nome da família, tenha certeza que sim! Na taça aromas de frutas sobre-maduras, ervas, especiarias, chocolate amargo, cacau, tabaco, etc. Na boca grande estrutura e elegância, taninos volumosos e finíssimos, álcool domado e ponta suavemente doce, um espetáculo! 
E terminamos essa noite memorável com um belo pastel de coimbra, mas o maior presente é rever os amigos!
Forte Abraço!


Abraxas 2007, a Safra é Nova, a Qualidade é a de Sempre!!!


Semana passada estive reunido em uma das confrarias que participo e o tema era Uruguai, eu e outro confrade éramos responsáveis pelos vinhos e um dos que levei foi este Abraxas, que já posso dizer, o cultuo! 
O 2002 bebi várias vezes, e sempre um espetáculo de equilíbrio sem dispensar a volumosa  e característica carga tânica. Mas esse 2007 está no auge, me surpreendeu! 
Como sempre a Tannat dá um vinho de cor violácea, os aromas remetiam a frutas negras maduras, carne, couro, balsâmico, chocolate amargo, ervas e por aí vai... Na boca, equilíbrio e estrutura! Grande corpo, boa acidez, volume tânico imenso e maduro, os taninos já estão finos! Retrogosto marcado pelas frutas maduras. 
Harmonizamos com cortes de diversas carnes, enfrentou bem a gordura da picanha e do ancho! 
Forte Abraço!

Harmonizando o Velho Mundo com Churrasco #CBE


A responsabilidade do tema do mês da Confraria Brasileira de Enoblogs foi minha nesse agosto que passou. Eu propus um tema que tivesse haver com meu pai, pois agosto é o mês dos pais. Meu pai adora um churrasco, mas, por favor, nada de Malbec desta vez, vamos nos desafiar, que tal um vinho do Velho Mundo para variar? 
E na companhia dele e de amigos abrimos o Aquilae, um Nero d'Avola que meu velho trouxe de sua viagem a Bota. O Aquilae como todo bom Nero Sciciliano é um vinho de corpo médio, acidez intensa, taninos maduros e muita fruta. 
Na minha opinião os Neros vão bem com muitos dos cortes de carne que desfrutamos num churrasco como a Picanha, Fraldinha, Costelinha de Porco e Linguiça Toscana. Para um churrasco comum, digamos assim, é um verdadeiro coringa! 
Forte Abraço!


Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!