A Evolução do Palagetto Chianti Colli Senesi DOCG 2007


Em janeiro de 2012 fiz um post sobre este Chianti (relembre aqui), que a época me surpreendeu por sua estrutura, incomum para os Chiantis e mais incomum ainda para os Colli Senesis, que são conhecidas pelo seu frescor, pelas sua fruta exuberante... 
Essa característica não usual fez com que eu guardasse por mais 02 anos a outra garrafa que eu tinha na adega, afinal, a curiosidade de guardar um Chianti por 07, 08 anos e ver o que acontece, ficou gigantesca!!! 
Novamente me surpreendi, pois o vinho perdeu muito da sua força, daquela estrutura que apresentou. A cor já demonstrava sinais de idade, um rubi com reflexos atijolados e os aromas traziam notas de fruta passada, tâmara e balsâmico. 
Na taça o corpo era médio, acidez em alta ainda, retrogosto confirmando as frutas passadas e taninos rústicos. Harmonizamos com pizzas caseiras, encaixou muito bem com o molho de tomate, como todo bom Chianti! 
Ou seja evoluiu mais para um Chianti, perdendo aquela característica de Novo Mudo que possuía, achei legal, mas admito que não esperava... 
Conheça outros vinhos com a amada Sangiovese aqui! 
Forte Abraço e Viva Chianti!!!

Mastro Janni Brunello di Montalcino 2007


Quando encontramos amigos sempre reservamos vinhos especiais para estes momentos e o amigo Gil Mesquita me apresentou um novo Brunello na última visita que fiz a ele. 
Ainda preciso tentar entender porque nós blogueiros normalmente optamos por grandes vinhos italianos para estes momentos... É uma coincidência que sempre me chama a atenção, os produtores franceses não devem estar felizes conosco... risos 
Enfim o nosso "feriadão" estava terminando e fomos para a cozinha, os homens para fazermos uma massa com ragu de cupim! Após cerca de duas horas, nosso ragu e massa estavam prontas... 
Aí o Gil desarrolhou este típico Brunello, cor rubí translúcida, aromas de frutos silvestres, ervas, terra molhada e couro. Na taça muito frescor, acidez intensa, taninos volumosos e finos, retrogosto frutado e perene, harmonizando bem com o ragu. 
Brunello é Brunello, sempre vale a pena! 
Forte Abraço!

Afincado 2006, Inteiraço!!!


No mesmo dia em que eu e o amigo Gil Mesquita (Vinho para Todos) desfrutamos do Casa Lapostolle Cabernet Sauvignon (relembre aqui) seguimos com nosso Churrasco, várias carnes... picanha macia e... Afincado! 
Eu sempre fui fã da Terrazas de Los Andes, há muito tempo desfruto dos seus vinhos maravilhosos, me lembro de safras anteriores a 2000 na taça como um Chardonnay 1999 interessantíssimo. 
O Afincado é uma linha Premium da vinícola e comprovou essa qualidade na taça. Este malbec vem de umas safras históricas para Mendoza, a 2006! O vinho com 08 anos estava inteiraço! E como o amigo leitor sabe eu prefiro os Malbecs mais jovens, no máximo com 05 anos, não acredito que eles envelheçam bem, mas esse aí nasceu para me contrariar!!! 
Cor rubi intensa, sem reflexos, aromas de frutos negros maduros, a característica ameixa dominando, notas de ervas, balsâmico e chocolate. Na boca o vinho está em sua plenitude, redondo com boa estrutura, acidez moderada e taninos finos. 
Forte Abraço!

Casa Lapostolle Cabernet Sauvignon 2007

foto: www.vinhoparatodos.com 
A Casa Lapostolle é uma das vinícolas de excelência no Chile, são 370 hectares plantados em três vinhedos, destaque para Apalta, referência na produção de Carmenère. Tem no seu portfólio de produtos vinhos como o Clos Apalta e o Borobo, vinhos premiadíssimos por todo o mundo. Por toda essa qualidade a vinícola distribuí seus vinhos em mais de 60 países! 
Quis fazer um post sobre este vinho 'menor' que costuma frequentar a minha taça, ele foi o acompanhamento de uma deliciosa costelinha de porco que fiz com o amigo Gil Mesquita do blog Vinho para Todos em maio. 
O Casa Lapostolle Cabernet Sauvignon 2007 não é um varietal como o nome sugere, é um blend! Em todas as safras ele é composto por 85% de Cabernet Sauvignon e por isso pode levar apenas a Cabernet no rótulo, já que pelas leis chilenas, um Varietal é composto no mínimo de 85% da variedade dominante. Essa é uma prática comum no mundo do vinho, muitos países adotam esse tipo de regras, no Brasil, salve engano, um vinho pode ser varieltal com 70% da variedade dominante. 
Mas retornemos ao vinho, normalmente a Lapostolle 'complementa' este vinho com Carmenère (15%), a safra 2007 foi uma exceção pois contou com 8% de Syrah, 2% de Cabernet Franc e somente 5% de Carmanère. E pra mim esse detalhe do varietal faz muita diferença quando bem trabalhado, como neste vinho. Todo varietal expõe as virtudes da cepa e do terroir, mas também suas deficiências... trabalhando bem, dentro da regra permitida, é possível levar o vinho a um nível melhor, mais agradável a nós consumidores! 
Este vinho confirmou a qualidade da safra 2007 no Chile e também a qualidade da vinícola. Estava elegante, equilibrado e macio. Aromas intensos denotando frutas negras maduras, menta e canela. A madeira bem integrada, boa acidez, taninos finos e boa persistência. 
Você encontra os vinhos da Lapostolle na Mistral
Forte Abraço!

É Verdade!!! Os Americanos já Bebem mais que os Franceses!!!


E o poder econômico começa a superar o hábito milenar europeu, os americanos consumiram 100 milhões de litros de vinho a mais que os franceses em 2013! Ao total foram 2,9 bilhões de litros consumidos da terra do Tio Sam contra, obviamente 2,8 bilhões dos franceses. 
A grande razão apontada pela OIV (International Organization of Wine and Vine), que é responsável por esses dados, foi a queda do consumo em 7% na França. Nos EUA o consumo cresceu 0,5%. 
Os italianos estão em terceio lugar com 2,2 bilhões de litros e os alemães em quarto com 2,0 bilhões, imagina se eles não bebessem cerveja??? risos, brincadeira... 
Mas o que me chamou atenção mesmo foi ver a China em quinto lugar com 1,7 bilhões de litros, a prova definitiva que o poder econômico está tomando conta do mundo do vinho, onde tem mais dinheiro se paga e se bebe mais! 
Forte Abraço!

Elegância na Taça! Alto de La Ballena Reserva Cabernet Franc 2008


Na minha visita ao amigo enoblogger Gil Mesquita, do blog Vinho para Todos, fui agraciado com a oportunidade de experimentar este belo vinho uruguaio! Aliás o Uruguai vai muito além da Tannat, acredite! 
A Alto de la Ballena foi fundada em 1998 e fica próxima a Punta del Este, mais precisamente na Sierra de la Ballena, onde possuí 08 hectares plantados e tem capacidade para produzir 60.000 garrafas/ano. 
Mas vamos falar do vinho, deste belo caldo! Muita elegância na taça! Cor rubi, aromas de frutas maduras e nuances de canela, cacau e chocolate. Na boca bom corpo e boa acidez denotando a vocação gastronômica deste vinho! Os taninos estão macios e agradáveis. O retrogosto é marcado pelas frutas e perene. 
Foi com um agradável churrasco que bebemos este vinho e foi, sem dúvida, uma boa harmonização! Aliás aposte nos vinhos mais ácidos e menos doces com as carnes bovinas, você vai se surpreender! 
Conheça os outros vinhos com a agradável Cabernet Franc clicando aqui!
Forte Abraço! 

Amanhã começa a Copa, mas cadê o clima de Copa???


Hoje é véspera de uma Copa do Mundo, uma Copa no Brasil que o Cristiano menino sonhou em assistir no estádio, ao vivo... Mas um sonho que não vou realizar por inúmeras razões que acho não cabe comentar... 
Independente disso amanhã tem Brasil x Croácia direto da Arena Corinthians, já mundialmente conhecida como "Itaquerão"! As 17hs a seleção canarinho estará representando nossa nação, esperamos com garra, dedicação e determinação. 
Mas cadê aquele clima de Copa??? Não vejo o pessoal como no passado... lembro de bandeiras no carros, dias antes da Copa, bandeiras nas sacadas dos apartamentos, bandeiras amarradas nas antenas de TV, não vejo bandeiras, as pessoas pouco comentam... 
Não vejo ninguém comentando que comprou uma corneta nova para a hora do jogo... para zoar, para brincar... tinha gente que comprava TV nova... assinava canal fechado... mas hoje ninguém fala nada, ou fala mal da Copa, da FIFA... faz parte... erros devem ser criticados mesmo. 
Mas eu não vou criticar, esse blog é de vinho, mas como o autor não está respirando Copa, não está no clima de Copa como tantos brasileiros, acabei decidindo não preparar nada especial por aqui... espero não frustrar o amigo leitor, mas o que você vir de Copa por aqui sairá no improviso! 
Forte Abraço!

Prosecco Anella Andreani DOCG


Eu admito!!! Eu sou fã de Prosecco, podem atirar as pedras se quiserem... risos... Eu sou fã dos espumantes mais frutados, mais simples, dos Charmat! Em que pese reconhecer a alta qualidade de muitos outros espumantes complexos, em especial os Champagnes. mas estou falando de gosto, não de técnica, então, eu gosto mesmo! 
Este é um Prosecco como manda o figurino! Cor clara, quase transparente, só se vê o intenso e fino perlage na taça, aromas de frutas cítricas, destaque para a maçã verde, notas florais completam o painel. Na boca é leve, simples, refrescante e com aquela ponta doce, como deve ser! 
Vai bem com saladas que tenham frutas cítricas e iogurte em sua composição, tem uma de cenoura ralada, abacaxi em pedaços, hortelã, frango desfiado e iogurte aqui em casa que faz sucesso com esse vinho! 
Conheça outros Prosecos que já comentei aqui!
Forte Abraço!

Salton Intenso Merlot Tannat 2011, Bom Parceiro do Churrasco!!!


Há mais ou menos um mês, mais precisamente em 24 de abril foi o Dia do Churrasco!!! Que alegria meu amigo!!! Eu sou chegado numa churrasqueira, queimar uma carne é uma arte, mas estou longe do amigo Tiago Bulla, esse gaúcho manda bem demais!!! 
Mas eu cometi uma heresia nesse dia, um absurdo, um Ultraje!!! Almocei num restaurante natureba, de saladas... Quando me toquei já era tarde... Nunca é tarde! Não é verdade? 
Passei no açougue, fui para casa e botei fogo na churrasqueira!!! Com os Medalhões de Pernil de Javali e Bife de Ancho na grelha me dirigi a adega e decidi pela intensidade da nova linha da Salton. 
Este Merlot/Tannat 2011 é um vinho interessante, de caráter rústico que casa bem com carnes mais fortes. Feito com 50% de cada uva e 06 meses de estágio em Barricas de Carvalho, a Merlot em Carvalho Francês e a Tannat em Carvalho Americano. 
Na taça coloração rubi intensa com reflexo violáceo. Aromas de frutos negros maduros, ervas e chocolate amargo. Na boca boa estrutura, excelente acidez, e com predominância marcante dos taninos, um tanto quanto ríspidos, o que confere esse caráter mais rústico que comentei. 
Gostei bastante do vinho, tanto que não sobrou uma gota, mas acho que iria melhor com uma boa costela ou com aquela gordurinha da picanha. 
Conheça outros vinhos brazucas aqui!
Forte Abraço!

Lagarde Primeras Viñas 2009, Um Vinhaço!!!


Olha, fazia tempo que eu não bebia um Malbec tão bom, tão equilibrado! E ainda sem perder a tipicidade! A potência, o suave dulçor estavam na taça confirmando a origem! Sem contar o rótulo lindo! 
A Lagarde é uma vinícola centenária! E dos primeiros vinhedos que foram plantados na Bodega, entre 1906 e 1930, vem este vinho, este Malbec, que descansou 14 meses em barricas francesas e mais um ano em garrafa antes de ser comercializado. Um show, um vinhaço realmente! 
Na taça cor característica, rubi com reflexo violáceo, os aromas começaram com frutos negros sobre maduros como ameixa, mirtilo e amora. Os aromas evoluíram para baunilha, cravo, canela, balsâmico e caramelo. Decantei o vinho, ajudou muito com os aromas
Na boca grande estrutura e muita potência, taninos macios, nenhum sinal de álcool e retrogosto confirmando as frutas, perene, um vinho de final longo e ponta doce. Mas o que muda para outros Malbecs? A acidez, tem excepcional acidez para um Malbec, conferiu equilíbrio ao vinho, equilíbrio que não é uma característica dos varietais desta uva. Fez muita diferença! 
Muitos dirão para guardar esse vinho, para deixar evoluindo na adega, eu discordo, apesar de ser um vinho espetacular, acho que prefiro ele assim, jovem, potente e equilibrado! Se tivesse outra garrafa guardaria por mais um ano no máximo. 
É um sentimento que tenho em relação aos varietais de Malbec, quanto mais novo melhor! Pode ser um exagero, mas prefiro assim, é o que minha experiência sugere. 
Conheça outros Malbec's que já comentei aqui!
Forte Abraço!

Suolo Rosso Primitivo di Manduria 2012


Tá cansado daqueles Primitivos doces? Daqueles que chegam a ser enjoativos de tão doce que são??? Pois tenho que dizer a verdade, eu adoro Primitivo, mas tem uns aí no mercado que Pelo Amor de Deus!!!  São melados!!! Confesso que meio que desisti de beber Primitivo por um tempo por causa desse exagero. 
Mas aí aparece um bom amigo que te presenteia com um dizendo: "bebi esse vinho e gostei, acho que você vai gostar também..." Obrigado meu amigo Carlos Eduardo! Devo essa a você! Belo vinho! 
Coloração rubi, aromas de figo maduro, alecrim, cedro e balsâmico. Na boca muita estrutura, excelente acidez, volume tânico enorme e macio, nenhum sinal de amargor ou álcool. Retrogosto confirmando o figo e perene. Vale a Pena! 
Por aqui acompanhou pizzas, mas pede massas com molho mais estruturados, sabe aquele bolonhesa feito com músculo, cozido por horas numa panela de ferro??? É disso que estou falando!!! 
Conheça outros Primitivos aqui!
Forte Abraço!

Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!