Andeluna Altitud Malbec 2010


Hoje é o dia Mundial da Malbec, a mais argentina das uvas, apesar de sua origem francesa. O Malbec World Day é muito celebrado, com ações muito inteligentes da Wines of Argentina. 
Eu decidi abrir este Andeluna Altitud aqui em casa para acompanhar um cordeiro ensopado e celebrar, afinal é a vida... risos... Foi bem, mas a característica da Malbec, de uma acidez mais moderada, fez falta. 
Este Malbec é produzido pela Andeluna em seus vinhedos de altitude, a altitude pode proporcionar vinhos mais frescos devido a amplitude térmica entre dia ser muito relevante. Dá para perceber neste vinho. 
Gostei deste Malbec que estagiou por 12 meses em barricas francesas. Cor rubi violácea, intensa, intransponível a luz... Aromas de frutos negros, carvalho, caramelo e ervas. Na boca, taninos em alta, enrugando bem o palato, acidez moderada e retrogosto de frutos negros e ponta doce como todo bom Malbec. Alcóolico, esquenta bem, irá muito bem nos dias de inverno que virão... 
Como disse acompanhou um Cordeiro Ensopado da Voilá, aliás você conhece a Voilá? Não?! Devía... 
Forte Abraço!

Don Melchor 2006, Um Bordeaux produzido no Chile!


Eu sei e talvez realmente seja um pouco de exagero tamanha afirmação no título de um post, mas que o vinho estava ótimo, estava! Que era elegante, muito! E é produzido com uvas bordalesas... não deu para resistir a tentação! 
O Don Melchor é um dos vinhos ícones da Conha y Toro, diriam eles que é a expressão máxima da Cabernet Sauvignon, mas o corte sempre leva um pouquinho de Cabernet Franc, o que só adiciona complexidade e elegância! 
Como sabem em março fiz aniversário e abri bons vinhos para comemorar... e quando comemorei com meus familiares desarrolhei um Don Melchor 2006 para acompanhar a perna de cabrito da Famiglia Fadanelli que nos recebeu naquele sábado a noite... 
O vinho estava maduro, no auge, rubi vivo com suave reflexo violáceo ainda, aromas intensos de frutas negras maduras como ameixa e um toque de goiaba para entregar a procedência, além de pimenta preta, canela, alecrim, couro e terra molhada. 
Na boca estava macio e equilibrado! Bom corpo, tanino volumosos e dóceis, acidez em alta e retrogosto confirmando as frutas. Perene, cada gole era muito tempo de prazer! 
Apesar da nota de goiaba ao nariz, o Don Melchor 2006 já não tem aquela pegada de Novo Mundo, aquela pujança característica. Me lembrei de uma amiga que dizia que quando bebia um Don Melchor, tinha vontade de lamber a taça de tão bom que era... eu também! 
Forte Abraço!

Brasil Às Cegas, Guia do Vinho no Brasil!


Depois de muitas horas de trabalho e degustações eu e o amigo Beto Duarte lançamos em março o Guia do Vinho - Brasil Às Cegas. 
Organizamos mais de 30 degustações com bloggers, lojistas, sommeliers e jornalistas para avaliarmos diversos vinhos. As degustações sempre foram às cegas, onde o o degustador não sabe o que está bebendo, sem influência de rótulo ou prévio conhecimento, afinal a verdade está sempre na taça!!! 
Se você quiser conhecer este trabalho pode enviar um e-mail para brasilascegas@hotmail.com ou adquirir um guia pelo Mercado Livre clicando aqui! Garanto que vale a pena mais de 800 rótulos avaliados de todo mundo!
Forte Abraço!

! 

Advertência

O conteúdo deste blog é destinado a maiores de 18 anos. Seja responsável, se beber não dirija!